fev 16, 2017 - câmara dos deputados    1 Comment

Invasão de prefeitos

Fui com Igor Soares (e) e Rogério Lins (d) percorrer os ministérios

Nesta semana, dois dos meus queridos prefeitos, Rogério Lins (PTN-Osasco) e Igor Soares (PTN-Itapevi), estiveram em Brasília, e eu fui com eles percorrer os ministérios, para buscar recursos federais às cidades. Como esta semana termina o prazo de indicação de emendas parlamentares para destinação de recursos aos municípios, Brasília foi ‘invadida’ por milhares de prefeitos. Ontem, devo ter recebido no gabinete uns 50. Uma jornada bem cansativa para todos os deputados com a visita de prefeitos e vereadores, que buscam ajuda para a realização de seus projetos voltados às melhorias de vários setores municipais, atendendo aos anseios e necessidades da população. Eu estarei enviando emendas, com recursos do Tesouro Nacional, para mais de 50 municípios do Estado de São Paulo. Gostaria de atender a todos, mas, infelizmente, temos limites orçamentários.

prefeitos1

Alguns dos prefeitos que recebi ontem em meu gabinete, na Câmara

Post sugeridos

1 Comentário

  • Dado que os governos em geral (federal, estadual, municipal) estão quebrados — amplamente por conta de os gestores desconsiderarem a hipótese de queda de arrecadação, não seria saudável suspender essas emendas parlamentares até que as contas se equilibrem?

    Todos sabem que as emendas são forte moeda de troca de apoio entre parlamentares e governo — é praticamente uma relação comercial. E elas servem para obras que, em grande parte, servirão de campanha para quem obteve a liberação dos recursos no Congresso.

    Entretanto, o ponto é: não há recursos para fechar as contas. Qdo não temos recursos em casa, cortamos tudo o que for possível. Pq os parlamentares não dão um bom exemplo de contenção e suspendem isso?

    [eu sei que isso não ocorrerá no Brasil — “farinha pouca, meu pirão primeiro” — mas vale a discussão]

Deixe seu comentário!