Tagged with " bastidores"

Oposição, jamais!

Um deputado, seu assessor e eu estávamos conversando sobre a bancada parlamentar representativa do Estado do Ceará, contabilizando quem seria oposição ao governo. A gente estava no cafezinho do plenário, quando o assessor falou: “MDB, um”. Ou seja, um deputado e o MDB sendo oposição. Nisso, um líder do MDB, que estava do lado da nossa mesa, esperando o elevador, gritou: “Oposição? Jamais! Hahahaha

Subsídio para deputados

Comecei uma briga na Casa. Por incrível que pareça, nessa articulação para a presidência da Câmara, tem deputado que pensa em colocar na mesa que o próximo presidente paute o aumento do subsídio dos deputados. E eu achei que ninguém teria coragem de propor isso. Então, cheguei pra um dos candidatos à presidência e perguntei se ele iria pautar o subsídio. “Se for pautar isso, eu não voto em você.” Ele fez uma cara de interrogação como se não tivesse entendido minha pergunta, mas os deputados próximos já iniciaram um motim contra mim (kkk)

Cadê eu?

Quando a expressão popular ‘tamanho não é documento’ não se aplica na prática. Pelo menos em entrevista coletiva, apinhada de pedestais e microfones colocados à sua frente. Eu sumi! Snif Snif

Toda hora é hora de planejar

3 de la matina, horário de reunião com a equipe. Quando estou em Brasília, ninguém dorme, todo mundo vira a noite comigo. Desta vez a pauta foi elaborar uma proposta para termos no país planos de saúde mais justos para os idosos. Claro que nessa hora não tem maquilagem que resista. Prestem atenção nas minhas olheiras. Que horror! (rs).

Ele é uma figura!

Adoro tirar foto com todo mundo. E desta vez o clique foi com o Cabo Daciolo, meu colega de Câmara e que foi candidato a presidente da República, com sua marca registrada: Glória a Deuxx!

Regresso de busão

Felizmente, a adrenalina estava em alta após percorrer 12 municípios do interior paulista (o giro pelo Interior continua nesta semana), porque a gente se lascou no regresso para a Capital. Uma pane no sistema de radar do aeroporto de Congonhas afetou todo o espaço aéreo e nenhum avião decolava de onde estivesse para São Paulo. Isso na sexta-feira à noite. A situação, segundo nos informaram no aeroporto de São José do Rio Preto, somente seria normalizada no domingo. Não dava para esperar, tinha agenda no sábado de manhã, e no domingo haveria a Convenção Estadual do Podemos-SP. Eu e meus parceiros de giro interiorano (Thiago Milhim e Ricardo Camargo) não tivemos outra alternativa senão pegar um busão e encarar 433 quilômetros e seis horas de estrada. Foi pesado, minha gente, e chegamos, literalmente, moídos (rs).

Saciando o desejo

O que fazer quando no meio do expediente, com uma agenda apertada e corrida na Câmara, a gente sente uma vontade tremenda de comer estrogonofe? Aperta ainda mais a agenda e dá um jeitinho de saciar o desejo (rs).

Visitas ilustres

Se eu tivesse feito uma aposta sobre quem viria, semana passada, me ver em Brasília, eu perderia feio. Jamais imaginaria essas duas visitas ilustres: minha mãe e minha madrinha, que vieram passar alguns dias na Capital Federal. Elas foram no plenário, conheceram mais parlamentares nossos, passearam, visitaram pontos turísticos daqui. Que vergonha, estou aqui há quase 4 anos e não conheço nada fora do Congresso. É só trabalho, trabalho e trabalho. Mas conseguimos uma noite só para nós três, fomos jantar num restaurante e colocar a conversa em dia. Que delícia, que gostoso, que surpresa boa elas me proporcionam!

Desvirtuando a fé

Teve um fato hilário na nossa bancada. Como vocês sabem, vários deputados que são pastores evangélicos se filiaram recentemente ao Podemos. Só que no nosso time há um parlamentar (que não vou falar quem é, para não o comprometer, e vocês vão entender o porquê) que diz ter 30 namoradas, todas de 18 anos. Absurdo isso, né? (kkkk). Vira e mexe, ele mostra as fotos delas que tem no seu celular. Um dia, durante o intervalo de discussões da pauta em plenário, lá estava ele mostrando algo para os nossos deputados pastores, todos muito compenetrados no que viam. Eu vi a cena e já deduzi do que se tratava, e comecei a rir. Foi quando um parlamentar pastor se aproximou de mim e disse: “Renata, essa bancada do Podemos está desvirtuando a minha fé”. Nós dois caímos na gargalhada.

Relação complicada (1)

Minha relação com o tempo está cada vez mais complicada. E desde que o relógio entrou na minha vida, eu e o tempo temos tido seríssimas DRs (discussão do relacionamento). A gente não se entende mesmo! Já falei aqui pra vocês que um dia de 24 horas pra mim não dá! E eu peito mesmo. Ontem, por exemplo, o dia acabou, a madrugada avançou e eu trabalhando com a equipe em meu gabinete, até que as luzes do prédio do Congresso foram desligadas e tivemos de ir embora no escuro. Um breu total. A vingança do tempo, e seu aliado, o relógio, veio poucas horas depois, quando o despertador disparou, avisando-me que tinha compromisso bem cedinho a cumprir: café da manhã com o senador Alvaro Dias, nosso presidencial, e parlamentares da bancada evangélica do Podemos. Definitivamente, o tempo e eu não combinamos, mas há de chegar o dia que ganharei essa queda de braço. (kkkk)

Páginas:1234567...42»