ago 28, 2015 - câmara dos deputados    8 Comments

Fala que eu não te escuto

Leitor assíduo deste blog, Cristovão Martins Torres me escreve sobre os pronunciamentos na tribuna da Casa: “Não deve ser fácil fazer um discurso na tribuna da Câmara, que deve ser preparado com muito carinho pelo deputado, e, quando o mesmo vai falar, os colegas ficam com conversas paralelas, não prestando atenção no que está sendo dito”. É verdade, Cristovão, isso foi a primeira coisa que me chamou atenção quando entrei nesta Casa. É engraçado, porque não tem cadeira para todos os deputados, ou seja, se todos quiserem sentar para ouvir os discursos e pronunciamentos, não tem lugar. Assim, fica aquela bagunça, um falando e ninguém ouvindo, sem prestar nenhuma atenção ao que o colega está dizendo ao microfone.  É bom ressaltar, no entanto, que grande parte daquele pessoal aglomerado naquele espaço frontal do plenário está discutindo tanto a matéria quanto a estratégia. Ali são discutidos emendas que entram na hora e substitutivos, que entram para votação no lugar do projeto. É naquele burburinho que a articulação do projeto acontece. Se ficar sentado não consegue falar com o líder, que fica justamente nessa área para orientar a bancada. Então, quem quer pedir alguma coisa ou mudar algo vai até lá. É importante esclarecer isso. É uma bagunça? É, mas é uma bagunça organizada. Poucos ouvem os oradores? Sim, é verdade também. Acho até que deveria ter uma regra para limitar o número de oradores porque, em cada votação, vai muita gente para a tribuna, muitas vezes para repetir o que já foi dito ou só para aparecer na transmissão da TV Câmara. E muitas vezes os presentes já têm opinião formada sobre o assunto, salvo um caso ou outro o tema já foi exaustivamente discutido nas comissões  lideranças e blocos. Enfim, concordo com você, Cristovão, sobre o fato de o orador falar sem ser ouvido, deveríamos ter um avanço disciplinar essa equação orador x ouvintes.

imagem camara

Poucos prestam atenção aos discursos  (Alex Ferreira/Câmara dos Deputados)

Post sugeridos

8 Comentário

  • Como assim não tem cadeira para todo mundo?

  • Assisto a tv camara por que gosto, e para quem assiste pela primeira vez, realmente parece uma bagunça. Mas é bem interessante o funcionamento da câmara.
    Obs: Eu não sabia que nao tinha cadeiras para todos os deputados.

  • A obra de recuperação dos trilhos em todo o Brasil:

    “As pessoas que tem pressa pegam o primeiro avião, as que tenham pouca pressa pega os ônibus, os que não tenham nenhuma pressa pregam os trens”
    Há cinquenta anos, a ferrovia Bahia-Minas ouviu o ultimo apito do trem, que pôs ponto final em seu funcionamento.
    Há mais tempo, percorri um trecho da ferrovia que ainda existe, mantida pela empresa de mineração, Vale, que faz o trajeto de BH -Vitoria, mais conhecida como Vitória -Minas).
    Sai pela manhã de BH e chega á noite em Vitoria e, no dia seguinte sai pela manhã de Vitoria chegando a noite em BH.
    Nessa viagem, me chamaram atenção, vários fatores, principalmente ao atravessar várias cidades em Minas.
    A primeira delas; o porque acabaram com as ferrovias no nosso país, já que em épocas passadas trouxeram relevantes serviços e progressos a várias cidades, principalmente a Minas Gerais.
    As inversões de prioridades e de valores, sempre tem uma possibilidade de trazer prejuízos ao nosso país e consequentemente ao povo.
    Acho que não se justifica acabar com um bem da cultura histórica de nosso país, em nome da modernidade, que trouxe em seus trilhos grandes progressos e bem estar ao povo.
    A segunda delas; não se deve apagar a memoria do passado não só com respeito aos que nela viveram, que nela fora vida, mas para possibilitar o reconhecimento como viviam.
    A vida passada é compreendida pelos símbolos que ficam!
    Não estou pedindo para o nosso país, uma proteção da memoria histórica para as ferrovias, onde teve relevo importante no passado, estou pedindo a volta dos trilhos, novamente.
    Seria uma forma de acabar com esse transito caótico, não só nas estradas, mas nas cidades como um todo.
    A volta dos trens, seria a abertura de um corredor de escoamento viário.

    .

  • “Só vão melhorar essa nação se investirem pesado na educação”.
    Na educação, a criança absorve as crenças e valores, indispensáveis para sua vida adulta.
    Há inúmeras oportunidades que a sociedade oferece ao jovem que recebeu quando criança uma educação certa.
    Tendo uma boa educação desde novo, quando ele atinge a idade adulta, produtiva, o jovem está preparado para trabalhar com disciplina.
    Se foi bem educado na escola do dever e da responsabilidade, sendo esta a ultima etapa, reinicia-se o ciclo permanente de sua vida adulta; por intermédio da teoria e a pratica.
    A passagem de todas essas etapas é indispensável para que alavanca de vez sua vida profissional.
    Todo homem pensa antes de agir e, o requisito primordial para coordenar a melhorias das ideias, sem duvida é o que ele estudou, aprendeu, desenvolveu, quando criança e na juventude.
    Se estudado é um cidadão motivado para ocupar posições adequadas na estrutura social, econômica do país que vive.
    Por isso que a educação é tudo na vida de um país, uma vez estudadas as pessoas fazem o desenvolvimento acontecer, não só da sua vida, como do país como um todo, não ficando a espera do estado, do que estado possa fazer por elas.
    Elas, por si só se desenvolvem!

  • Um grande jurista brasileiro disse certa ocasião, em uma entrevista, nossas leis são ótimas, não ficando a dever nada as leis de grandes nações, por todo o mundo, mas elas tem que serem mais respeitadas.
    Como tinha razão, o grande jurista brasileiro; Sobral Pinto.

  • Um fator que reputo da maior importância para a melhoria da qualidade do serviço publico no nosso país, são os treinamentos.
    O treinamento tem um custo, mas ele pode ser considerado investimento, porque ele da resultados.
    Outro dia conversando com uma funcionaria concursada de um serviço publico, perguntei a ela; quanto tempo trabalha nessa seção, ela me respondeu que já fazia 12 anos que estava lá, perguntei a ela quantos cursos ela fez nesse período de trabalho, me respondeu dois cursos, para 12 anos trabalhado.
    Muito pouco, acho que todo funcionário publico, seja em que área trabalhasse, deveria fazer uma reciclagem pelo menos de seis em seis meses.
    Isso iria fazer que melhorassem os atendimentos e o retorno aos órgãos públicos seria fantástico.
    Deveria ser lei, que toda prefeitura reciclassem seus funcionários semestralmente, isso em todo o país.
    Para diminuírem os custo dos treinamentos, a prefeitura mandava um funcionário fazer um curso de especialização fora da cidade, adquiria os conhecimentos e multiplicava as informações entre os colegas.
    Seria um multiplicador das prefeituras!
    Com isso os gastos com treinamentos seriam pequenos, só com o multiplicador, que buscava as informações e multiplicava entre os colegas.
    Na europa é muito comum as pessoas investirem em seus próprios currículos, fazendo treinamentos.
    Na minha visão todo profissional precisa de fazer treinamentos periodicamente, colocar um diploma debaixo dos braços e ficar sem fazer nenhum curso a vida toda, é muito pouco para um profissional, seja de qualquer área, até na área politica precisam muito de treinamentos, observamos o monte de erros cometidos contra o patrimônio publico, óbvio, por falta de treinamentos, nada intencionalmente.
    Quando vejo um politico, numa determinada área passar administrar outra área, cada tempo alguns estão em uma área de trabalho, uma hora ocupam uma secretaria de saúde, depois passam para a secretaria do transporte, depois passa para o meio ambiente, isso sem nenhum treinamento, fico horrorizado.
    Poderiam ser mais eficientes em seus trabalhos se reciclassem mais, mas pelo visto tendo a credencial de politico, já sabem tudo.
    Ai que mora o perigo, a nação como um todo perde muito com isso, se for verificar essa pratica, ela é por todo o país.
    Nas cidades do interior, isso é muito comum de acontecer, é gritante essa pratica.
    A perda é muito grande, com a falta de treinamentos, por isso acho da maior importância, reciclar os conhecimentos de seis em seis meses, em todo o setor publico do Brasil.
    Essa pratica deveria ser em todos as áreas de trabalho no país, na área da saúde, da educação, no desenvolvimento, no transporte, na aviação, no esporte, etc
    Nas empresas publicas e privadas, etc.
    Iriamos ter um atendimento de qualidade em todos os setores da vida brasileira, seríamos nível de excelência, com isso iríamos reclamar menos dos governos.
    Nossa ajuda seria com um pouco mais de qualidade, “esses treinamentos gerariam uma melhoria continua em toda a nação”.

  • Acabei de ler, assim que acordei, recomendo; autor; Frei Betto
    Livro; Paraiso Perdido
    Viagens ao mundo socialista

    O autor não viajou como turista, jornalista ou simples expectador da historia, e sim como alguém que interviu diretamente no curso.
    Frei Betto assessorou governos de vários países socialistas com uma desafiadora missão; a aproximação entre estado e igreja e o resgate da liberdade religiosa.
    Testemunhou ao vivo, a queda do muro de Berlim e o fim da guerra fria.
    mais uma grande obra desse grande autor, sociólogo; Frei Betto.
    Eu que já visitei, fiz agora mais uma viagem aos países socialistas, sensacional.
    Eu recomendo essa grande obra!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • Tenho uma admiração muito grande pelo parlamento brasileiro, tanto na câmara como no senado, onde aos olhos de toda a nação acontecem todos os dias projetos, leis, decisões politicas, etc.
    Hoje no Brasil, a instituição vive a sua afirmação constitucional, ao lado dos poderes da federação, óbvio, com muitas atribuições com muita força e independência, temos a democracia, que foi uma conquista de grandes políticos que hoje já não estão mais no parlamento, mas deixaram um legado para as futuras gerações políticas de preservação desse estado de direito.
    Os homens passam, as instituições ficam e, com ela os bons exemplos deixados, tem que permanecerem.
    Na minha educação recebi como herança, grandes valores humanos e, um que não esqueço, é de respeito as instituições e as pessoas.
    Principalmente nesse momento da vida nacional em que não se tem poupado criticas ás instituições e aos homens públicos, dedico o meu respeito e admiração a todos.
    Entendo que nesse momento de crise, pelo qual passa o nosso país, sugiro que todos os políticos abaixem a guarda, que deem uma pausa, que façam uma força nacional de entendimentos, de parcerias entre os partidos, tudo em prol do nosso país e principalmente do povo brasileiro, já que boa parte deles, estão pagando um preço alto com o desemprego, inflação alta, etc.
    Que deixem as desavenças politicas para quando estiverem próximas as eleições, o momento atual é de muita união.
    Afinal estamos todos no mesmo barco.
    O meu partido politico é o Brasil, torço muito por ele!

Deixe seu comentário!