fev 10, 2017 - Sem categoria    2 Comments

Dia de 24 horas é pouco

Estou prevendo um ano muito puxado, muito mesmo, e com tempo menor do que a quantidade de coisas a fazer. Parei pra refletir sobre meu dia a dia no Congresso. Deputada de primeiro mandato, com três eleições para presidente da Câmara, um impeachment e muitas outras votações polêmicas que mobilizaram o Brasil todo. Agora tem pela frente a Reforma Trabalhista, a Reforma da Previdência, a segunda Reforma Política… que experiência adquirida, gente! Fora o reposicionamento do meu partido, que exige a formatação do planejamento anual, palestras, divulgação, disseminar nossas ações e projetos, algo bem grandioso. Mil coisas fervilhando na cabeça! Aí você é interceptado no caminho por um colega pedindo apoio a seu projeto, é outro que te encontra no corredor para falar de uma proposta, e assim é o dia inteiro. E mais: está terminando o prazo de os deputados indicarem suas emendas parlamentares para recursos federais nos Estados, então, há uma invasão de prefeitos e vereadores, você não consegue ficar no gabinete (exceto de madrugada, quando não há mais ninguém no prédio). Como você precisa planejar as emendas, não dá para fazê-lo ali. 48-horasAté que consegui atender vários prefeitos, semana que vem virão outros, mas é impossível dar conta de falar com todos. Tenho também de entregar a relatoria do Ecad, que demorei bastante porque quis ouvir muita gente, mas agora o relatório está bem maduro. Ainda estou lutando pelo PL da Legalização dos Jogos no Brasil, contra o Bloqueio do WhatsApp, nosso projeto de Educação Cidadã. É muita articulação pra fazer ao mesmo tempo. Vinte e quatro horas por dia já eram insuficientes no ano passado; este ano, precisarei de pelo menos 48 horas por dia. Ufa!

Post sugeridos

2 Comentário

  • Hoje é dia do Rádio:
    Tenho várias paixões na vida, dentre elas, o rádio.
    Se passo o dia, sem ler os jornais e ouvir rádio, me sinto como um bola vazia.
    Hoje é dia dele, parabéns pelo inventor e por ele existir.
    Se viajo de carro, obvio, vou com Deus e com o rádio.
    Não saberia viver sem minhas paixões, dentre elas, o rádio.
    Tenho por habito, dormir com ele ligado, as vezes gera briga, mas não largo o meu rádio.
    Meu melhor companheiro, o rádio.

  • Respeitar os limites e perdoar as falhas é o caminho para ter uma existência mais sábia e feliz.
    Se permitir errar, falhar, acertar, aprender.
    Ninguém é perfeito, porém, não significa que não deva buscar ser uma pessoa melhor a cada dia, o aperfeiçoamento é diário, fundamentado nas experiencias e nos valores.
    Se bem administradas, as horas do dia são suficientes para poder trabalhar, viver com a família, os amigos e os entretenimentos que a vida permite.
    O trabalho é muito bom, princialmente quando se gosta do que faz, mas a vida tem outras atividades de suma importância para o ser humano.
    Cada coisa no seu devido lugar e tempo.
    Por isso que Kallil Gibran dizia, que a vida é a maior de todas as artes.

Deixe seu comentário!