mar 21, 2016 - câmara dos deputados    7 Comments

Com o povo pelo impeachment

a favor

Muitas pessoas me perguntam sobre o impeachment de Dilma Rousseff. Eu sou a favor de o povo ter voz sempre nas principais decisões do País. Estou acompanhando atentamente o desenrolar de todo esse processo, muito consciente e segura de meu papel como deputada federal, que é fazer jus à decisão popular, a favor do impeachment. Minha opinião: vai ser difícil segurar esse governo. Não tem mais clima no Congresso. Está muito ruim, tudo parou.

Além dessa questão do impedimento da presidente, o Brasil atravessa preocupante período de instabilidade política. E não dá para simplesmente pagar pra ver. Temos de superar essa crise representativa que distancia a população da política, porque o sistema atual está falido. Um sistema triangular, cujo topo (representantes políticos) decide pela base (população.) Só que o topo sofre muita influência e pressão do governo, do poderio econômico que o colocou lá e exclui a base de suas decisões. Enfim, uma política que não atende mais os brasileiros.

Eu estou diretamente envolvida na criação de um movimento que resultará na mudança efetiva desse sistema político. O PTN, com 70 anos de história de política limpa, sem escândalos, atualmente conta com 13 deputados federais, que estão nessa luta para mudar a política brasileira ao se aproximarem do eleitor. Aguardávamos o final da janela de transferência partidária para difundir um movimento que defende a Democracia Direta, ou seja, o povo dentro do governo, exercendo o seu direito de participar das principais decisões do País, indo além do voto.

Um movimento com o povo participando diretamente do processo político, decidindo, por exemplo, se quer castração química para estuprador ou se quer usar recursos do FGTS para o Programa Minha Casa, Minha Vida. Um movimento que não é de esquerda, nem de direita. O que o povo decidir será o voto de nossa bancada. Com a população exercendo seu papel de direito, vamos juntos decidir qual o futuro do Brasil que queremos!

Post sugeridos

7 Comentário

  • Prezada Deputada,
    Gostaria de saber qual é a posição de seu partido quanto ao Impeachment da Presidente. Você já se pronunciou a favor e tem feito seu papel em prol deste processo. Porém, há deputados em outros estados que já se colocaram contra ao processo e que têm fortes vínculos com o PT. Por exemplo, a bancada da Bahia, alidada do Governador Rui Costa (PT) e que responde por alguns órgãos no estado.
    Afinal, quanto ao impeachment, esta é uma posição sua individual ou do PTN de uma forma geral? As decisões serão tomadas isoladamente ou haverá um consenso dentro do partido? O PTN se venderá ao governo em troca de cargos ou comandos nos ministérios ou adotará uma posição como a sua?
    Muito obrigado e boa sorte.
    Vargas.

  • Boa noite deputada!

    Desejo a vocês muita sorte na reforma que estão fazendo. Realmente espero que seja boa, que traga mudanças, tão necessárias. Gosto muito da ideia de aproximar as decisões políticas do povo.

    Por outro lado, discordo com a opinião de que o impeachment é a voz do povo. As pesquisas mostram que quem se manifestou a favor é majoritariamente a elite branca, que, assim como os “papagaios de pirata” do outro post, aparecem porque gritam muito.

    Não há motivo para tirar a presidente do cargo! Se todos estão procurando justificativa legal para o processo de impeachment, é porque não há razão de fato para que aconteça. Existe uma perseguição quase que como uma caça às bruxas para cima do PT, e que é muito desproporcional comparada com todas as acusações de corrupção da história do país.

    A presidente deve ficar, porque foi eleita pela maioria, porque não tem motivos legais que a impeçam de ficar, e porque todo esse movimento não tem objetivos bons, pois não vem de pessoas boas.

  • Deputada, entendo suas colocações acerca do ‘clima’, da ‘decisão popular’, mas gostaria de saber seu posicionamento especificamente sobre o mérito do processo de impeachment, ou seja, as tais pedaladas fiscais.
    Lhe parece um motivo justo, mesmo sabendo, por exemplo, que o próprio vice Michel Temer assinou decretos que também configuram como pedaladas, e que diversos governadores sempre praticaram as tais pedaladas sem que isso fosse motivo para medidas extremas como o impeachment?
    Obrigado.

  • Dep. Renata,

    Lamento você ser a favor do impeachment. Gostaria realmente que fosse contra.
    Apesar de entender que vc deve sofrer pressões de todos os lados, vejo como qualidade em um representante da sociedade a defesa da Democracia (com D maiúsculo) acima de tudo. Inclusive acima da vontade dessa mesma sociedade.
    Não sou Petista, pois não voto sempre com o PT, mas vejo que estão crucificando um partido e de forma em que todos os partidos se tornem fracos. Se triturou um, tritura qualquer um.
    Sei que todos os partidos no congresso estão comprometidos com alguma força que não temos conhecimento. Mas acredito na força individual das pessoas que querem realmente fazer a diferença.
    Seja forte, por favor!

    • Alfredo,

      Vamos ver se entendi a sua posição:

      1 – A presidente comete estelionato eleitoral;
      2 – A presidente comete crime de responsabilidade fiscal;
      3 – A presidente afunda o pais em uma crise econômica por causa das benevolências para ganhar as eleições;
      4 – O partido da presidente, o PT, é o protagonista do maior escândalo de corrupção que se tem notícia no mundo contemporâneo.

      O que é democracia para você Alfredo?

      Uma prerrogativa constitucional e pilar da democracia é, se o povo elegeu um representante e esse representante frustrou as expectativas do povo, o povo tem direito de voltar atrás na sua decisão.

      O país inteiro está a favor do impeachment.

      • Perfeito Comentário Mazolla!!! Parabéns

      • Com todo o respeito,
        Como a senhora é a favor de um impeachment de uma presidenta que não cometeu crime de responsabilidade!
        Então agora é assim: o povo elege alguém para presidente, aí o parlamento resolve tirar e tira!
        Olha que precedente! O povo não mais decide quem vai governá-lo! E se decide não sabe quanto dura no governo que ele elegeu!
        Temos que pensar grande. Temos que pensar além do imediato. Temos que seguir a constituição, senão o estado de direito perde o sentido. Nenhum cidadão e o país estarão mais seguros.
        O impeachment é previsto para presidente que comete crime de responsabilidade e pedaladas fiscais não consta no código penal. Pelo amor de deus, reflita que isso, caso se concretize, é sim um golpe. E nenhum futuro presidente saberá se governará todo o mandato. Ele terá que dar vários “agrados” aos deputados senão cai.
        E mesmo que a maioria do povo quisesse o impeachment, como não há motivo legal para tal, que esperem as próximas eleições e tirem de lá quem os deixou insatisfeito.
        Veja bem: quase 50% da população não votou em Dilma. Considerando que após um mês das eleições, 1% da população se arrepende do voto, isso já seria motivo para depor o presidente?
        Pelo amor de deus, que insanidade é essa! Parlamentares não podem se mover pela maioria! Há de se respeitar o estado 50% democrático de direito. Se mais de 50% da população for a favor da escravidão, seria certo os deputados votarem a favor dela?
        Olha o movimento enorme nas ruas contra o impeachment. Ninguém está defendendo a Dilma lá não. Estão defendendo que o candidato eleito governe até o fim do mandato pelo qual foi eleito. Não se pode ser imediatista.
        E mais: quem não vê que todos na linha sucessória, ao contrário de Dilma, estão sob suspeição de corrupçaõ! Colocaremos lá o Cunha? O Temer? O Renan?
        Precisamos refletir além do imediato.
        E como ficarão os brasileiros diante dessa crise extrema. As coisas não se resolverão sozinhas após Dilma ser deposta. E tenho certeza que quem é pró e contra impeachment não deixarão um corrupto da Lava Jato governar.
        Se a mulher pode ser incopetente para alguns, mas isso não é motivo para tirá-la. Essa mulher está tendo sua vida devassada há dois anos e o que encontraram contra ela? Nada.
        Gente, sejamos justos.
        E que quem não gosta dela que a tirem de lá, bem como todos do PT, nas próximas eleições, se assim for a vontade da maioria.
        Respeitemos as regras democráticas.

Deixe seu comentário!