maio 12, 2017 - câmara dos deputados    3 Comments

A dor da separação

Mais uma semana pesada, com discussões sobre a Reforma Política, sobre a Reforma Previdência, muitas outras reuniões em paralelo e ainda articulando para o crescimento do partido, conversando com senadores que estão bem inclinados a somar com a gente nesse projeto inovador de fazer política no País, que tem o cidadão como protagonista. Dormido pouco, umas três horas por noite, mas tem válido a pena. Só pesa muito, dói demais, deixar meus filhotes distantes. Minha assessora até filmou a tristeza do meu pequeno Rafinha ao deixar-me no aeroporto. Foi muito sofrido tirá-lo do meu colo. O sofrimento foi tamanho que acabei perdendo o voo para Brasília.

Cheguei em cima da hora no Congresso, e não deu tempo de votar sobre o projeto da Vaguejada. Ao entrar no plenário, a votação nominal estava encerrada. Em parte, foi bom. Admito para vocês que não saberia como votar nesta questão. Eu defendo muito a causa animal, não gosto que fiquem puxando o rabo dos bichos, mas tenho um marido baiano, uma família nordestina, região onde essa cultura é muito forte.

Agora, mais do que isso, são as atrocidades jurídicas que se comete, porque a manutenção da vaquejada foi colocada na Constituição Federal. Onde na Carta Magna vamos tratar essas questões tipo vaquejada, rodeio…? Uma anomalia! Enfim, a vaquejada foi aprovada, para a alegria dos nordestinos.

 

Post sugeridos

3 Comentário

  • A escravidão também era um traço cultural muito forte no Brasil como um todo, e nem por isso deixa de nos envergonhar hoje em dia.

    Tal qual acredito que um dia nos envergonharemos de avalizar em lei a tortura de animais.

  • Imensa felicidade pelo dia de hoje!

  • Parabéns, pelo dia de hoje!
    Imensas felicidades.

Deixe seu comentário!