Tagged with " bastidores"

Chorei de saudade

Como vocês sabem, eu, como presidente nacional do Podemos, tenho rodado o Brasil em dias e horários que não têm atividades no Congresso. Mal desembarquei de Brasília, nem pude ir ver meus filhos, entrei num carro e encarei quase 3 horas de congestionamento para cumprir uma agenda na cidade de Poá, Região Metropolitana de São Paulo. Retornei para casa de madrugada, as crianças, obviamente dormindo, e sai de novo, ‘às 5h de la matina’, para levantar voo rumo a São José do Rio Preto. Outra vez, o regresso foi tarde da noite, filhotes em sono profundo, e antes do sol raiar estava outra vez no aeroporto, para viagem ao Espírito Santo. No avião, chorei de tristeza, porque a última vez que havia visto meus filhos acordados foi na segunda-feira (4). Só voltei de Vitória na noite de sábado e ontem (domingo), enfim, conseguir ter em meus braços e beijar muito meus dois pequenos. Não é fácil ficar longe dos meus meninos. Dói muito!

Bolo em dose tripla

Foi uma semana de Parabéns a Você, com os aniversários de minha irmã Christiane, do meu pai José de Abreu e do senador Alvaro Dias. Cansei de comer bolo. Assim, não há corpitcho que aguenta. Agora, trancar a boca para compensar a comilança festiva (kkkk)

Açaí diet

Uma tigela de açaí  tem em média 200 calorias, se acrescentar açúcar e banana bate na casa de 700 calorias. E se colocar granola, salta para 1.000 calorias. Ufa, ainda bem que no Pará, onde estive para um Encontro do Podemos com meu deputado federal Chapadinha, eles substituem a granola por farinha de tapioca. Comi sem peso na consciência (kkkkk)

 

Preciso de um clone

Mal chego a Brasília e há tantas coisas para resolver que não consigo entender como dou conta de tudo. Gostaria de ter um clone, duas Renatas, talvez, conseguiriam fazer tudo que tenho para deliberar aqui na Câmara. (rs)

Intensivão gera economia

Saiu na mídia que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, autorizou os deputados a esticarem o feriado da Proclamação da República. Mas não foi nada disso, gente. O que houve, de fato, foi que ele antecipou as sessões, ou seja, puxou os trabalhos em plenário, geralmente de terça a quinta, para segunda a sexta-feira passada. Isso para economizar custos. Cada ida-volta de estado de origem-Brasília-estado de origem é um custo e tanto nos cofres públicos. Eu sempre defendi que se fizesse um intensivão de trabalhos sempre que houvesse um feriado no meio da semana. A antecipação custa menos aos cofres públicos, são duas passagens aéreas de deslocamento, uma para ir e outra pra voltar de Brasília. Sem intensivão, são quatro, ida e volta antes do feriado e ida e volta depois do feriado. Mas como vivemos em tempos de fake news, divulgam que estamos enforcando trabalho, como se a gente ficasse parada quando não têm atividades no Congresso. Trabalha-se muito mais, porque se aproveita esse tempo para conversar com os eleitores, com lideranças locais e estaduais, a gente não para um minuto, cumprindo as agendas políticas e sociais do mandato. E semana que vem voltamos com tudo no Congresso, porque tem muita coisa em pauta!

 

Brasil precisa se valorizar

Estive fazendo uma grande reflexão do Brasil. Viajei recentemente para os Estados Unidos, um país onde as coisas funcionam. Não tenho a menor vontade de morar lá, já até morei, tenho vontade mesmo é que o Brasil seja um país melhor, por isso minha reflexão. O que temos de fazer para o nosso país evoluir? Precisamos discutir a política macro, discutir o Brasil como um todo, parar com esse populismo barato. Obviamente que tudo isso passa pela Educação, temos de trabalhar, primeiramente, para erradicar o analfabetismo, não o ler e escrever, mas o analfabetismo social e cívico.

Quando estive nos Estados Unidos fiquei abismada ao saber que, depois dos norte-americanos, os brasileiros são os maiores investidores. Você chega naquele país e só têm brasileiros comprando, comprando e comprando. O brasileiro vai gastar lá. Paga 3 vezes mais lá, porque um dólar está R$ 3,30, paga-se muito mais caro lá, proporcionalmente. Fiquei me perguntando: qual seria o custo de um norte-americano passar férias no Brasil? É de graça! É 3 vezes menos. E por que eles não vêm? Porque têm uma cultura de gastar em seu país, para manter o dinheiro nos Estados Unidos. E o brasileiro vai gastar lá, vai deixar o dinheiro nos Estados Unidos!!! Então, tem uma questão educacional que os norte-americanos e os povos mais desenvolvidos sabem explorar muito bem o Brasil. Na verdade, o Brasil nasceu de uma colônia de exploração, e a gente precisa mudar essa cultura, precisa povoar o Brasil de vez, valorizar nossa indústria nacional, valorizar nossa Nação.

Desde que me elegi deputada, aliás bem antes até, nunca mais havia viajado para fora do país, sempre que tive férias fui para o Nordeste ou outras regiões brasileiras, eu gosto do Brasil. Fiquei assustada quando vi tanto de brasileiros fazendo compras e investindo nos Estados Unidos. Em vez de estimular o nosso turismo, trazer dinheiro para cá, aquecer nossa economia, a gente pega o pouco que tem, com essa crise, e vai gastar lá fora. Temos de ter mais cultura nacionalista, não acham?

Desânimo passageiro

O mundo político às vezes me enoja. Chego até me perguntar porque estou aqui, mas, quando visito as comunidades e vejo a esperança que as pessoas te depositam, quando votei a favor da investigação contra o Temer e as pessoas fizeram questão de dizer que eu as representava, volta a vontade enorme de continuar lutando. Entretanto, tenho de revelar que é um universo bem desgastante. A gente é atacada publicamente, fica longe da família, isso desgasta muito, só que em contrapartida recebe esses estímulos de pessoas do bem para seguir em frente. Aliás, estou bem motivada com o projeto do nosso senador Alvaro Dias, pré-candidato a presidente da República. Temos de assumir um protagonismo para lutar por aquilo que a gente sonha, e não ficar apoiando por fisiologismo. Estou me empolgando muito com isso. Vou para a reeleição, e já estou trabalhando para isso.

Acostumados com carinho

Semana passada não estive em Brasília. Tinha questões pessoais a resolver e não vim para o Congresso. E nesta semana, mal cheguei e tinha uma enxurrada de deputados para atender, todos carentes, é impressionante! Você se ausenta alguns dias de uma semana curta, porque teve feriado nacional, e o clima esquenta na bancada. Vou te falar, viu! Acho que por ser mulher presidente, eles estão muito acostumados a receber carinho e atenção, então, basta sair de cena por uns dias e se instala uma crise que vocês não fazem ideia (kkkkk).

Viagem perdida

Na semana passada, a última para apresentar as emendas parlamentares, muitos prefeitos e vereadores estiveram em Brasília para acompanharem as indicações de recursos federais empenhados para seus municípios. Só que não tinham ministros em seus postos, porque os que são deputados foram exonerados dos cargos para votarem em favor de Temer. Viagem perdida, prejuízo no bolso!

Frente Parlamentar

Sabe o que é uma Frente Parlamentar disso ou daquilo? Uma Frente Parlamentar dever ser de caráter suprapartidário e destinada a promover, em conjunto com representantes da sociedade civil e de órgãos públicos afins, a discussão e o aprimoramento da legislação e de políticas públicas referentes a um determinado setor. Mas o que se vê, com raras exceções, é um negócio para fazer média com a base. Por exemplo, suponhamos uma Frente Parlamentar em Defesa da Abobrinha, que é criada a partir da iniciativa de algum parlamentar que tem base nesse setor, teoricamente para debater projetos sobre abobrinhas. Mas, constituída a frente parlamentar, tem pouca produtividade e efetividade. Não me canso de achar isso muito desnecessário. Há uma ou outra frente que caminha, que tem um propósito real, mas isso é muito raro, geralmente as frentes parlamentares são criadas para projetar alguém. O interessante é a disputa acirrada para integrar a diretoria de uma frente, que é só para colocar no currículo pessoal, porque, sinceramente, frente parlamentar não tem muita atuação.

Páginas:«1234567...42»