Archive from Abril, 2016

E chega o grande momento!

É hoje! O Brasil inteiro preparando-se para esse grande momento, que entra para a história política deste País. Ainda há muitas articulações nos bastidores, tanto de um lado quanto do outro, principalmente para conquistar os votos dos indecisos. Brasília está de prontidão. Do lado de fora, a população começa a chegar, muitos e muitos policiais a postos, para garantir a segurança de todos, e o ‘muro de Berlim’ a separar favoráveis e contra ao impeachment. A sessão começa às 14h, com a fala do relator Jovair Arantes, depois falam os líderes de bancada e às 17h20 começa a votação. Cada parlamentar terá 10 segundos para anunciar o seu voto. A expectativa é muito grande. Espero que todos tenham muita calma neste dia, não provoquem, não ofendam, não sejam intolerantes e nem deixem que o ódio se sobreponha a esse importante momento de decisão democrática, aceitando e respeitando o voto de cada parlamentar e, principalmente, o resultado final. Meu voto, todos já sabem. Logo mais oficializo meu ‘sim’ ao impeachment, fazendo ecoar a voz das ruas na Casa do povo!

renata na tribuna

Não beba nada que ofereçam!

Viramos a madrugada. Fiz meu discurso quase às 5h da manhã. Mas o clima aqui está muito tenso, bem agitado. O governo está todo mobilizado, na tentativa de ampliar o voto ‘não’ ao impeachment. Dizem que o Lula está num hotel aqui do lado, atendendo deputado por deputado, principalmente aqueles que ainda estão indecisos. Tá fogo, viu! Nessas últimas 24 horas que restam, o governo está trabalhando pesado. Me pediram até para não beber nada que me oferecerem, de nenhum colega. Jogo pesado, gente! Quem faltar amanhã, ajuda o governo. Então, dizem que vão usar de tudo para virar o jogo. O negócio é ficar atento e bem esperto. Não sei o que vai dar, mas confesso que estou bem preocupada com a situação do País.

renata abreu

Impeachment deveria ser votado pelo povo, e não pelos parlamentares

Trabalho de bastidores

Acho engraçada a cobrança de amigos me cobrando para estar falando na tribuna. Fiz meu pronunciamento nesta manhãzinha, mas não dá para ficar o tempo todo no microfone. Estou nos bastidores, batalhando e ganhando, votos, um a um. Isso dá um trabalho tremendo de convencimento. Ou fico na tribuna falando, mostrando que estou lá e gritando pelo impeachment, ou fico nos corredores me empenhando para o processo passar pela Câmara. Não é fácil! Eu sempre digo aqui para vocês, quem mais trabalha é quem fica nos bastidores.

Meu palpite: 376 votos

Aqui é uma partida de xadrez diária. O meu sentimento é o seguinte: o jogo mudou muito, a sensação pró impeachment é muito grande, a pressão da população ajuda muito demais no processo e cada vez mais temos parlamentares se posicionando a favor. Estou bem otimista. Têm vários bolões na Casa. E minha aposta é 376 votos a favor do impeachment. Vamos ver se eu acerto!

Otimista com o amanhã

Brasília vive dias de intensas articulações. À frente do Palácio do Jaburu, residência oficial do vice-presidente Michel Temer, têm carros e carros de deputados, que chegam para audiências com ele. Agora vou falar uma coisa para vocês, conversei com o Temer e, cá entre nós, fiquei bem otimista, sabe. Percebi que ele está com boas intenções, se preocupando em colocar pessoal técnico no governo, em reduzir o número de ministérios, em trabalhar a política econômica. Se a imprensa deixar e nenhum escândalo aparecer, acredito que ele tenha condições de fazer um bom governo e unificar o Brasil. Sai de lá bem otimista. A gente tem de se unir mesmo pelo Brasil. Muita gente fala que a presidente vai cair e que todas as miras vão se voltar contra o Temer, mas acho que temos de ter muita cautela num primeiro momento, deixar ele governar para ver o resultado. Meu sentimento, hoje, é que se o governo Dilma cair, a onda de otimismo no país vai melhorar muito. E isso já melhora também a economia, o parque industrial, enfim, tudo.

 

Aniversário no plenário

Depois de uma quinta-feira de muitas articulações, deixei o Congresso tarde da noite e fui jantar com minha equipe, para comemorar antecipadamente o meu aniversário, que é nesta sexta-feira, abertura das sessões de discussão do impeachment no plenário e também de intenso trabalho de convencimento em pró do impeachment!

Virando o placar pra valer

Acabo de participar de uma entrevista coletiva, no salão verde da Câmara, onde anunciamos a aliança entre PTN, PHS, PSL, Pros e PEN. Juntos, somos 30 deputados federais, 26 favoráveis ao impeachment. Até domingo, esse número pode subir ainda mais. Tenho comigo a sensação que esses votos, provavelmente, decidirão o processo na Câmara tão almejado pelo povo brasileiro. Na conversa com os jornalistas, fiz questão de deixar bem claro que nosso grupo representa o povo e a ele deve lealdade. Não buscamos decidir por um Brasil vermelho ou azul, de direita ou de esquerda, do Norte ou do Sul. Nossa missão é maior. Queremos devolver à população o poder e a esperança, e que juntos nós podemos decidir por um Brasil ainda melhor!

coletiva 2

Entrevista coletiva no salão verde da Câmara: aliança de cinco partidos

Viramos o placar

orienta

Vamos lá, amigos, uma ótima notícia para todos nós. Hoje, já temos 8 votos, maioria dentro da bancada do PTN a favor do impeachment. O trabalho de convencimento, com argumentações firmes, pontuando cada motivo para dizer ‘sim’ na votação nominal no plenário, resultou nessa mudança importantíssima. E vamos continuar empenhados para conseguir mais adesões. É assim que se faz, não com imposição, mas conversando, discutindo e apresentando a importância de sermos favoráveis ao processo de impedimento, porque é o futuro do Brasil que está em jogo. Até domingo, não tenho dúvidas, estaremos unidos nesse posicionamento. Estou muito feliz. A orientação do PTN, domingo, será ‘sim’ a favor do impeachment!

 

 

Pergunta sem noção

Eduardo Cunha deu coletiva à imprensa sobre as regras da votação em plenário. Eu estava passando por ali justamente no momento em que um repórter perguntava qual será o voto dele, porque mesmo presidindo a Casa ele vai votar domingo. Cunha fez uma cara de pastel, olhou fixo para o jornalista e respondeu: “Vou avaliar a acusação e a defesa para só depois tomar minha decisão”. Que pergunta mais sem noção! Alguém neste imenso Brasil tem alguma dúvida qual será o voto dele?

Calo na língua

impeachment foto

Aqui, a temperatura continua altíssima. Um caldeirão de água fervendo em cada cantinho da Câmara. Muitas articulações ocorrendo em cada centímetro do Congresso. Ontem passei o dia inteiro conversando, chamando deputado por deputado, convencendo-os a votar pelo impeachment. Muito trabalho. Estou com calo na língua de tanto falar, argumentar e convencer. Conseguimos reunir um grupo legal, do PTN, do PHS, do Pros, do PSL e do PEN, pra que a gente faça uma frente de apoio ao impeachment e consiga essa vitória no domingo. E esse grupo só tende a crescer.

 

Páginas:«123»