ago 21, 2017 - câmara dos deputados    3 Comments

Contra tudo e contra todos!

Às vezes, me dá enorme agonia. Nem a população sabe direito o que quer em relação algumas pautas. Quando o assunto chega, a sociedade muda de opinião da noite para o dia. Sempre ouvi críticas sobre o sistema eleitoral atual, onde os votos do Tiririca serviram para eleger desconhecidos. Os eleitores sempre criticaram e afirmavam ‘nós votamos em pessoas e não em partidos’! Aí se propõe o distritão como sistema eleitoral, que é justamente o que o povo já faz e quer, ou seja, votar em pessoas e também acabar com o efeito Tiririca que tanto criticavam. E o que acontece? Somos atacados de novo, sob a alegação de que o distritão facilita a reeleição! Pesquisas apontam que é preciso o fortalecimento dos partidos. Então, se propõe votação pelo sistema de lista pré-ordenada, que seria a única forma de fortalecer os partidos, mas a população também critica esse sistema eleitoral, argumentando que servirá para esconder os ficha sujas.

Vejam bem, criticou-se o financiamento privado de campanhas eleitorais, que acabou proibido. Agora, tenta-se criar o sistema de financiamento público, única opção que resta, mas o povo também protesta. A verdade é que tudo o que vier deste Congresso a população verá com desconfiança, sempre achando que tem algo a mais por trás de qualquer proposta.

Por isso, defendo a instalação de uma Constituinte para tratar da Reforma Política. E precisamos, urgentemente, educar nossa população para a política!

Post sugeridos

3 Comentário

  • O efeito Tiririca precisa realmente ser revisto. Vejo muitos candidatos a vereador se esforçando e conseguindo muitos votos, porém não se elegem porque um outro com bem menos votos se beneficia deste efeito… Não parece ser justo afinal ter muitos votos apenas mostra a dimensão da responsabilidade que este político precisa ter e não transformar isso em um benefício para eleger outros do partido. Quanto ao financiamento público de campanha creio ser um erro na utilização deste dinheiro público porque o país precisa investir em escolas e não em partidos. O melhor realmente é o financiamento privado, porém é preciso desenvolver melhores mecanismos de transparências e estabelecer um teto por empresa ou pessoa física e havendo irregularidades perde-se o mandato e o outro mais votado entra na vaga independente de ser ou não do mesmo partido. Indiretamente os próprios partidos se fiscalizarão para não perderem a bancada.

  • Prezada deputada.
    O nosso problema é um pouco “mais embaixo”, pois infelizmente nossa falta de interesse e conhecimento político não é causa dessa indignação é consequência de uma deficitária educação e formação cidadã. Nossa pauta deveria ser focada MUITO, mas MUITO mesmo em educação, vejo esse como único caminho para diminuição de violência, corrupção e tantos outros males que nos assolam.

  • Tem só que tomar cuidado porque considera-se como “opinião do povo” o que sai na mídia. Mídia não é “opinião” do povo. Eu mesmo gostava da ideia da lista fechada, mas se vier distritão também não me oponho. E o argumento de que “Distritão facilita a reeleição” que a mídia está usando por ai, vou nem comentar.

    Da pra ver que a mídia é o quarto poder do país….

Deixe seu comentário!