maio 6, 2015 - câmara dos deputados    8 Comments

Tolerância nos pedágios

Um projeto de lei que vou protocolar na Câmara dos Deputados é sobre a cobrança de pedágios nas rodovias. A questão diz respeito às cabines de cobrança que estão instaladas antes dos retornos. Dias atrás senti a situação por ter errado o caminho e ser obrigada a retornar. Num intervalo de poucos minutos, paguei duas vezes o pedágio: a primeira, na ida, e a segunda, após fazer o retorno. Isso mesmo: duas tarifas em menos de 15 minutos. Quantas pessoas por dia passam pela mesma situação, errando o caminho e pagando duas vezes o pedágio? Não é justo isso, não é mesmo? Já que o retorno nunca é antes do pedágio, deveriam dar um tempo mínimo de tolerância para quem erra o caminho.  Por isso, vou protocolar projeto de lei para que haja tolerância de 15 a 20 minutos, a fim de parar com essa dupla cobrança para quem erra o caminho.

Post sugeridos

8 Comentário

  • Deputada seria de grande valia para todos nós que usamos o pedágio diariamente.
    Eu só acho que essa tolerância deveria se estender não só para quem erra o caminho, e também para quem precisar ta passando varias vezes ao dia, por necessidade de trabalhando em um curto período de tempo.

  • Concordo com Deputada, quer seja via Artesp, quer via Projeto de Lei!
    Pedágios colocados desta maneira e sem qualquer tolerância como do tipo citado pela Deputada deve ser combatido e alterado!
    Tem o meu apoio, parabéns pela idéia, vá em frente que corrigirá uma grande injustiça que se pratica pelos já abusivos pedágios!!!!

  • Se o governo quer cortar os gastos tudo bem, que corte, mas de o exemplo cortando primeiro em sua própria carne. Mas ñ a hora de cortar os gastos dos partidos, não pode . Seu pensamento está certo e coerente nesse caso especifico eu votaria a favor do projeto

  • Muito boa essa ideia. Não imagino como porque não fizeram isso antes. Quem usa as rodovias diariamente sabe o custo disso!

  • Concordo parcialmente com o comentário do Luciano.

    Se fosse realmente para fazer algo a respeito, o caminho indicado por ele é realmente bom (única obs. é que a ANTT é o órgão federal responsável, não a Artesp, que é regida pelas leis paulistas).

    Entendo a ânsia por ajudar e resolver problemas. No entanto, este é um problema raro, com consequências leves. Por mais irritante quando acontece, o bom senso sugeriria que não vale o tempo de trabalho da nobre deputada nem das comissões e do plenário da Casa, e só contribuiria para o excesso de leis pouco relevante que burocratiza o país.

    Att.,
    Pedro

    • Tá sobrando grana começa pagar os meus erros Pedro. Já passei por essa situação duas vezes.

  • Prezada Deputada,
    Prezada Renata Abreu,
    Sugiro que antes de fazer este requerimento, você se informe junto as Agencias controladoras , em SP por exemplo é a Artesp, sobre o posicionamento dos pedágios.
    Eles são planejados e instalados em locais estudados longamente, visando que todos os usuários paguem igualmente as tarifas. E que também se evitem evasões.
    Eles não são colocados para fazer uma “pegadinha” com o usuário, conforme você “sentiu” ao errar o retorno.
    Deste modo, acho que você não passará algum possível constrangimento.
    Minha sugestão é que você mande primeiro um oficio à Artesp, explicando o caso e perguntando como seria possível corrigir este problema.
    Abs,
    Luciano Amadio

    • O amigo Luciano ai deve ter chofer ou não viajar pra declarar algo assim !!

      Concordo com você Deputada, moro no interior Sorocaba – SP e trabalho com consultoria, viajo a trabalho mais de 30.000 KM por ano e concordo plenamente com a sua ideia, acrescento inclusive que poderia ser cobrado o pedágio com critérios de equidade como é feito em outros países, onde de acordo com o veículo, potencia e tudo mais é calculado o valor do pedágio, isso corresponderia exatamente o impacto, desgaste do mesmo na rodovia, um Fusca não pagaria o valor do pedágio de Camaro etc etc (assim é cobrado em EUA – Ohio por exemplo).

Deixe seu comentário!