Tagged with " PTN"

Sem ouvir os dois lados

moedas

É preciso ouvir os dois lados da moeda

Sempre ouvi que a lição número 1 do jornalismo é ouvir todas as partes envolvidas numa história. Ou pelo menos tentar ouvi-las. Isso é apuração. Todos os manuais de redação consagram a necessidade de ouvir os dois lados de um mesmo assunto. Infelizmente, nem sempre isso é cumprido. Me refiro à notícia divulgada semana passada de que o nosso PTN rompeu com o governo federal. Só que nenhum jornalista falou comigo ou com o líder de nossa bancada na Câmara, Alexandre Baldy, sobre isso. Fomos surpreendidos com as matérias publicadas, nenhuma delas com qualquer citação nos textos que pelo menos tentaram nos ouvir. Considero uma irresponsabilidade divulgar informação dessa maneira.

Pés não aguentaram

Ontem, fizemos a gravação do programa partidário para TV, com a participação de nossos vereadores e prefeitos. Assim como ocorreu na Câmara Federal, tornando-se o partido que mais cresceu na atual legislatura – hoje somos 13 deputados em atividade e 1 licenciado, por ocupar uma secretária na Prefeitura do Rio de Janeiro -, também tivemos o maior crescimento proporcional no número de prefeituras: 131%, de 13 eleitos em 2012 para 31 em 2016, fora os mais de 90 vereadores eleitos só em São Paulo. A produção do vídeo ficou bem legal, mas quem pensa que gravar é fácil, nossa, são horas e horas sob a luz forte dos holofotes. É iluminação que muda, é texto que muda, é o tempo que estoura e tem de fazer de novo. Gente, dói tudo, pés, ombros, coluna. Teve um momento que não aguentei: sentei num banquinho e tirei os sapatos, meus pés agradeceram. Vou falar uma coisa: eu não seria atriz, jamais mesmo!

renata podemos programa tv

Pausa para curtir a família

pausa

Oi, queridos, passando por aqui para dizer que o blog não está parado, não. É apenas uma pausa breve, para recuperar o fôlego depois um ano bem agitado, não é mesmo, e que só terminou com as solenidades de posse dos prefeitos e vereadores. Como presidente nacional do PTN, estive presente nesses eventos, principalmente naqueles dos quais o nosso partido obteve vitórias importantes, como em Osasco e Itapevi, com a posse de nossos prefeitos, respectivamente, Rogério Lins e Igor Soares, e em São Paulo, onde o Legislativo atual passa a contar com o nosso Dr. Milton Ferreira. Agora, estou na Paraíba, descansando por 10 dias e curtindo minha família, principalmente meus filhos, que sentiram muito a minha ausência nesse ano que passou. No retorno a São Paulo, e antes do fim do recesso parlamentar, mangas arregaçadas para debruçar em cima da pauta prevista para o primeiro semestre no Congresso, quando teremos importantes votações, tais como as reformas Trabalhista e da Previdência. Vou aproveitar esse tempo para ouvir especialistas sobre os assuntos e falar com a população. Se vocês tiverem alguma dúvida a respeito desses dois temas ou opiniões já formadas, gostaria muito da colaboração de todos. Meu posicionamento se dará através dessa colheita de informações, como sempre fiz. Como vocês sabem, o PTN está à frente do Movimento Podemos, baseado em mais participação popular, mais transparência e mais ações de democracia direta, entendendo que juntos podemos construir o Brasil que queremos.

 

 

Novo líder da bancada

alexandre-baldy1Hora de mudar o líder da nossa bancada, o que ocorre semestralmente, porque a liderança é rotativa. Toda vez que temos alguma disputa na bancada é um estresse, porque é um jogo de articulação de grupo, pra pegar maioria, e aí sempre ocorre divisão da bancada. Fizemos a reunião e o deputado Alexandre Baldy, de Goiás, foi eleito o líder do PTN na Câmara.

Um novo conceito na política

podemos-lancamento-oficial-10dezembroDois anos debruçados em livros, em pesquisas, ouvindo muita gente, argumentando outro tanto. Debatendo muito. Nas últimas semanas, então, foram noites e noites sem dormir, sentados em torno de uma mesa, com muitas doses de café pra manter os olhos abertos, alinhando cada item, cada tópico, cada ação. O projeto está pronto! Com atualização do nome do partido, do conceito e do programa político. Ufa, foi tenso, cansativo, mas muito satisfatório. O resultado desse esforço e do empenho de universitários, advogados, cientistas políticos, publicitários, políticos, filiados e simpatizantes desse movimento e tantos outros colaboradores é o novo caminho para a democracia brasileira, onde o povo é o protagonista. O PTN muda de nome, passa a ser Podemos, um partido movimento que, por meio de ações práticas, abre o leque de participação do cidadão nas decisões deste país, hoje limitado a opinar apenas nos pleitos eleitorais, de 2 em 2 anos. O Podemos é a resposta à sociedade que vive em um mundo conectado, mas com uma política estagnada que não a escuta. No Podemos, por exemplo, a população terá voz ativa, orientando a nossa bancada federal como votar nas principais questões em discussão no Parlamento. Segunda-feira, em Brasília, realizamos a nossa pré-convenção, com a participação de nossos deputados federais e estaduais de todo o Brasil, prefeitos eleitos, presidente estaduais do PTN e delegados regionais. No próximo dia 10, no Centro de Convenções Anhembi, em São Paulo, a partir das 14h, faremos o lançamento oficial do Podemos, movimento político calcado em democracia direta, transparência e participação e que vai dividir as decisões com a população, num coletivo de construção de um novo país. Estão todos convidados para o lançamento do Podemos, conhecer essa proposta inovadora e participar desse momento histórico para a política nacional. Juntos Podemos Mudar o Brasil!

maio 23, 2016 - câmara dos deputados    7 Comentário

Líder de bancada

Gente, apesar da rotina extenuante, dos dias intensos e corridos, da falta de tempo de curtir mais minha família e, principalmente, meus filhos, não posso me queixar destes primeiros 15 meses de mandato como deputada federal. Mesmo estreante na política, exercendo minha primeira missão eletiva, tenho conquistado vitórias que jamais poderia supor que viessem em tão pouco tempo. Dezenove projetos protocolados, três aprovados, relatorias de importantes projetos de lei, titularidade em comissões permanentes e especiais altamente significativas na Câmara, fora o aprendizado contínuo, que já me proporcionam traquejo e segurança para tomar a frente nas articulações de bastidores para que as questões que defendo, como por exemplo a Internet Livre, venham a ser aprovadas na Casa. Sempre falei aqui para vocês que quem mais trabalha no Congresso é quem pouco aparece na TV, porque é nos bastidores que se batalha, convencendo colegas, captando adesões para que uma proposta, que é totalmente favorável à população, seja aprovada. E, por estar sempre nessa batalha, ainda mais agora quando estamos finalizando um movimento para trazer a população para dentro do poder, foi que conseguimos atrair para o nosso partido deputados que compactuam desse plano. Hoje nossa bancada conta com 13 parlamentares. Já poderia me sentir realizada com todas essas conquistas, só que a vida costuma sempre me surpreender. E a mais recente alegria aconteceu na semana passada: fui escolhida para ser líder da bancada. Honrada demais pela escolha, vocês nem imaginam quanto. Uma indicação que só me estimula a prosseguir nesse caminho que abracei lá trás quando, cansada de só reclamar da política, resolvi abraçar essa missão e contribuir para mudar o cenário que atravessamos, com garra, determinação e foco. Para que vocês saibam o que significa ser líder de bancada, ele é parte essencial do processo legislativo. Compete ao escolhido nortear a discussão e a votação de propostas, expressar a opinião do grupo que representa e definir, junto com os demais líderes, a pauta de votações do plenário. Responsabilidade aumentou, né gente? Muito trabalho pela frente, mas estou muito feliz, feliz mesmo.

reuniao da base de apoio

Participando da reunião dos líderes da base de apoio ao governo

 

Concretizando um sonho

Lembram-se de ter comentado aqui meu sonho de um novo sistema político para o Brasil? Que passei o último ano estudando, discutindo e pesquisando com minha equipe e colaboradores uma fórmula inovadora que proporcionasse a participação efetiva, e de direito, da população nas principais decisões do País? Pois bem, a semente está plantada e foi apresentada semana passada aos deputados federais do PTN, num evento que reuniu um staff de especialistas em ciências sociais e políticas. O partido será reposicionado, com bandeiras mais condizentes com a atualidade, inserido totalmente no mundo globalizado e conectado deste século, onde todos se comunicam em tempo real, numa grande conferência em que a coletividade passa a ter voz atuante e decisiva nos rumos desta Nação. Sempre fui defensora da democracia direta e percebi que grande parte da crise de representatividade se deve a exclusão dos verdadeiros detentores do poder, ou seja, o povo, que ao longo das últimas décadas foi limitado a se manifestar apenas de quatro em quatro anos. Daí a necessidade do reposicionamento partidário, devolvendo ao brasileiro o que lhe é de direito, a capacidade de participar, discutir e decidir o que é melhor para o Brasil. Com ferramentas apropriadas, passaremos a ter debates digitais em que o cidadão poderá se manifestar durante todo o processo político e participar direta e ativamente do mandato de seu representante na classe política e, principalmente, do partido. Restam algumas etapas para que o projeto esteja completo e espero em breve concretizar esse sonho. Aguardem!

Jovens com futuro promissor

Quem pensa que vida de política é fácil, não é não. Cheguei de Brasília na quinta à noite, passei o dia seguinte inteiro em reuniões, mas terminei a noite em Osasco, no lançamento da pré-candidatura a prefeito do nosso jovem Rogério Lins, de 35 anos. Ele é meu primeiro suplente na Câmara dos Deputados e foi o mais votado nessa cidade da Região Metropolitana de São Paulo. Nesse lançamento esteve presente também o deputado estadual Igor Soares, outro jovem promissor do PTN e que é pré-candidato a prefeito em Itapevi. Foi muito emocionante, porque é a juventude acreditando e participando pra valer da política, construindo sonhos, construindo projetos. É muito legal. Estamos montando um time jovem muito forte e de um futuro brilhante para o País. Fico radiante de ver o crescimento do PTN. Assumi o partido em 2011, sem nada, um partido morto, hoje é a agremiação partidária que mais cresceu na Câmara dos Deputados (mais de 300%). E aqui, no Estado de São Paulo, estamos bem cotados para ganhar as prefeituras de várias cidades. Isso é um enorme estímulo para a juventude participar da política, acreditando na sua força de fazer um amanhã cada vez melhor. E, sinceramente, sinto-me feliz e realizada pelo patamar atual do PTN, fruto desses jovens que acreditaram em nosso projeto e hoje estão aí bem cotados para serem vitoriosos nas urnas municipais.

WhatsApp-Image-20160506

Rogério é pré-candidato a prefeito em Osasco e meu suplente na Câmara

Vamos presidir uma comissão

Gente, lembram que eu costumo dizer que as coisas mudam nesta Casa numa velocidade tão rápida, mas tão rápida, que o dito ontem já não vale para hoje? Pois é, bastou escrever ontem que estava estranhando a lentidão das coisas por aqui e horas depois o plenário pegou fogo, com a votação das novas regras para a composição das comissões permanentes da Câmara. A sessão avançou madrugada adentro por causa de uma polêmica referente à criação da Comissão da Defesa dos Direitos da Mulher. Os debates foram acalorados. Parlamentares foram contrários à criação, com o argumento de que já há várias comissões que acolhem, discutem e votam projetos de interesses das mulheres. Muitas deputadas argumentaram também que não tiveram acesso ao parecer do relator João Campos (PSDB-GO). Decidiu-se colocar a retirada de pauta da proposta em votação simbólica (quando o presidente anuncia ‘todos permaneçam onde estão’). Quando Eduardo Cunha anunciou o resultado, pelo não adiamento, muitos deputados pediram verificação de voto e, não sendo atendidos, chegaram a ocupar o espaço da mesa diretora para impedir o prosseguimento da sessão. O presidente interrompeu os trabalhos e convocou reunião de líderes, na qual os convenceu que se as comissões não fossem criadas (criou-se também a Comissão do Idoso) muitos partidos iriam ficar sem cargos nesses colegiados. Na volta da sessão, já de madrugada, 220 parlamentares votaram a favor e 167 votaram contra. Na mesma sessão também foi aprovado o novo formato para a escolha da presidência de cada uma das 25 comissões permanentes. Agora, em vez do tamanho dos blocos parlamentares, passa a levar em consideração o tamanho atual da bancada partidária, após a janela da troca de partidos. O PTN, com 13 deputados, vai presidir a Comissão de Segurança Pública e o Combate ao Crime Organizado. Agora, os partidos têm até o próximo dia 3 para indicar os membros dos 25 colegiados. E, ao que tudo indica, os trabalhos nas comissões começam na quarta-feira.

comissões

Ameaça de expulsão

Dois partidos fecharam questão contra o impeachment e ameaçaram de expulsão quem votasse a favor. E o cerco foi bem pesado, viu. Eu vi muito deputado com medo, cara de pavor na hora da votação. Um deles era secretário nacional do partido. Acho isso um absurdo, porque cada Estado tem a sua realidade. No PTN mesmo, tomei pau por respeitar a posição de cada um dos nossos parlamentares, que votou de acordo com seus eleitores e de acordo com a realidade do Estado que representa. Não achei correta a atitude desses partidos, porque tinham deputados cuja base eleitoral queria o impeachment, mas eles foram obrigados a votar contra. Lamentável!

Páginas:123»