fev 14, 2017 - câmara dos deputados    3 Comments

Sensação boa

reforma brasilEstou com uma sensação muito boa, de estar participando diretamente das mudanças no País, das reformas estruturais, quer seja para debater alguns pontos, quer seja para defender outros, enfim, pensar o Brasil. Sabe, isso me deixa muito feliz. Sei que algumas decisões minhas poderão vir a ser questionadas, poderão ser consideradas impopulares, mas, asseguro a vocês que vou sempre prezar pelo futuro da Nação. Acho as reformas Trabalhistas, da Previdência e Política muito importantes. Claro que têm alguns absurdos que precisam ser combatidos, mas, no todo, as reformas são essenciais. E participar desse momento me deixa feliz mesmo. É preciso coragem para mudar o que está desatualizado. Vou lutar para que, de fato, o futuro dos nossos filhos fique melhor. E, podem ter certeza, jamais se permitirá tirar direitos adquiridos, isso jamais mesmo!

Post sugeridos

3 Comentário

  • O crime cometido por quem tem um diploma universitário é muito mais consciente, do que aquele que não tem diploma, não cursou nenhuma faculdade.
    Portanto, deveria ter uma punição maior, já que o criminoso é mais esclarecido, mais consciente.
    Quem tira a vida de uma pessoa e vai preso, a família dele recebe uma pensão do estado.
    E a família do que perdeu seu ente querido, como é que fica!
    Quem tira a vida de uma pessoa, deveria pagar pensão para a família do que morreu, pelo resto da vida.
    Mas aqui no nosso país, “o errado é que é certo”, já dizia um locutor esportivo mineiro.

  • Mas, deputada, retirar direitos adquiridos pode ser necessário. Por que não?

    A pensão de filhas de militares era direito adquirido e caiu. Prisão especial para quem tem curso superior é direito adquirido — e não vejo qq sentido nisso, deveria cair tb. No setor público há categorias com uma série de incorporações salariais que podem ser classificadas como direito adquirido — mas que ferem o teto salarial constitucional (que *deveria* prevalecer). O Judiciário tem 60 dias de férias e mais os recessos. É direito adquirido. É intocável, não pode mudar?

    Enfim, advogo apenas para que direitos adquiridos não sejam tabu. Alguns podem ser absurdos, ou defasados, e devem sim ser reconsiderados.

    • Olá, Marco

      Concordo com você que há casos que precisam ser profundamente analisados, debatidos e revistos, porque deixam de ser direitos a todos para serem benefícios a alguns.

      Boa semana

Deixe seu comentário!