Em clima eleitoral

Os trabalhos em plenário estão bem serenos. É que o clima eleitoral (ou pré-eleitoral como alguns preferem chamar) já está em vigor não só no Congresso, mas em todo o Brasil. A necessidade de uma grande mudança, da transformação de tudo que está aí (balcão de negócios, corrupção, escândalos, prisões, HCs, embargos declaratórios judiciais aqui e acolá), tem feito com que se fale e se discuta política em cada canto do País. E isso é bom, porque é o povo debatendo política e manifestando seu desejo de reconstrução da nossa Nação.

Bem, voltando aos trabalhos legislativos, depois de aprovarmos, por 266 votos a favor e 8 contra, o regime de urgência do Cadastro Positivo, o projeto entrou em votação dias depois, mas não avançou. A proposta, que permite reunir informações sobre os pagamentos em dia do cidadão, desde que ele seja comunicado do cadastramento e que o mesmo possa cancelar sua inclusão a qualquer momento junto a qualquer gestor do banco de dados, encontrou resistência em plenário. Uma questão polemizou os debates: a privacidade de dados, com os contrários alegando que haveria quebra do sigilo bancário.  Considero o Cadastro Positivo uma proposta muito boa, tanto que é adotado em vários países. Não vejo prejuízo para o consumidor adimplente sua inclusão no Cadastro Positivo, aliás vejo benefícios, que seria contemplado com juros menores justamente por ser bom pagador. Enfim, sem acordo, a votação foi adiada, e talvez entre na pauta desta semana.

Desvirtuando a fé

Teve um fato hilário na nossa bancada. Como vocês sabem, vários deputados que são pastores evangélicos se filiaram recentemente ao Podemos. Só que no nosso time há um parlamentar (que não vou falar quem é, para não o comprometer, e vocês vão entender o porquê) que diz ter 30 namoradas, todas de 18 anos. Absurdo isso, né? (kkkk). Vira e mexe, ele mostra as fotos delas que tem no seu celular. Um dia, durante o intervalo de discussões da pauta em plenário, lá estava ele mostrando algo para os nossos deputados pastores, todos muito compenetrados no que viam. Eu vi a cena e já deduzi do que se tratava, e comecei a rir. Foi quando um parlamentar pastor se aproximou de mim e disse: “Renata, essa bancada do Podemos está desvirtuando a minha fé”. Nós dois caímos na gargalhada.

Cuidando das cordas vocais

Não tem jeito, quando a voz é um dos principais instrumentos de trabalho da gente, é preciso cuidar muito bem dela. Por isso, usei máscara durante todo o trajeto de Brasília a Goiás, porque não há cordas vocais que resistam ao ar-condicionado do carro. Em Anápolis, participei do lançamento da pré-candidatura do nosso deputado estadual Valeriano Abreu para a Câmara Federal. E em Goiânia, do ato de indicação do deputado estadual Lívio Luciano, que também é do Podemos, para compor na chapa do Ronaldo Caiado, pré-candidato a governador.

 

Sobrenome parlamentar

A mesa diretora do Senado vai negar o pedido de senadores petistas para incluir no painel eletrônico o sobrenome Lula. A mesa diretora da Câmara deve seguir o mesmo procedimento. Afinal, não tem cabimento adicionar ‘Lula’ no nome parlamentar. Para mostrar o absurdo que é esse pedido dos petistas, o nosso senador José Medeiros (Podemos-MT) apresentou ofício para incluir ‘Moro’ em seu sobrenome parlamentar. Outros senadores adotaram o mesmo procedimento, justamente para mostrar ao Congresso o quão ridículo seria esse procedimento. Imaginem cada parlamentar pedindo para inserir o sobrenome que lhe convier em sua identificação no painel eletrônico. Afe, cada coisa que acontece por aqui!

 

Relação complicada (1)

Minha relação com o tempo está cada vez mais complicada. E desde que o relógio entrou na minha vida, eu e o tempo temos tido seríssimas DRs (discussão do relacionamento). A gente não se entende mesmo! Já falei aqui pra vocês que um dia de 24 horas pra mim não dá! E eu peito mesmo. Ontem, por exemplo, o dia acabou, a madrugada avançou e eu trabalhando com a equipe em meu gabinete, até que as luzes do prédio do Congresso foram desligadas e tivemos de ir embora no escuro. Um breu total. A vingança do tempo, e seu aliado, o relógio, veio poucas horas depois, quando o despertador disparou, avisando-me que tinha compromisso bem cedinho a cumprir: café da manhã com o senador Alvaro Dias, nosso presidencial, e parlamentares da bancada evangélica do Podemos. Definitivamente, o tempo e eu não combinamos, mas há de chegar o dia que ganharei essa queda de braço. (kkkk)

Relação complicada (2)

Mais um embate entre o tempo e eu. Gente, as horas correm rápido demais. Ou sou eu que tenho atividades demais a cumprir? Bom, sei lá, só sei que qualquer lugar é lugar para resolver pendências. Como no banheiro: enquanto retoco a maquiagem, aproveito para resolver algumas questões com o meu diretor de Comunicação, Fernando Vieira, que, como vocês podem ver, está muito bem ‘acomodado’ na beira da banheira (hahahaha)

Segura o choro, olha a maquiagem!

Promovemos um almoço com toda a bancada do Podemos para dar as boas vindas aos parlamentares recém-filiados. E ali, ouvindo as palavras do nosso líder na Câmara, deputado Ricardo Teobaldo, e do senador Alvaro Dias, a emoção tocou fundo. Foi difícil segurar as lágrimas. O meu sonho, agora sonhado por todos eles, passou como um filme na minha memória, tantas noites sem dormir, batalhando, articulando, construindo um projeto de mudança, de esperança. É ou não é para se emocionar diante de tudo que já conquistamos? Hoje, somos 17 deputados federais e 5 senadores, além de prefeitos, vereadores, deputados estaduais, lideranças em cada canto do País, todos imbuídos da missão de levar nosso Podemos e a nossa proposta de dias melhores para este Brasil, que precisa ser reconstruído com urgência. Temos muito que caminhar, mas chegaremos lá, com apoio e participação do povo!

Luxemburgo vira Edmundo

Este blog também é pra contar as gafes que cometo (rs). Então, vamos à mais recente. Estive na solenidade de transmissão de cargo no Palácio dos Bandeirantes, assumindo Márcio França como governador de São Paulo, e foi lá que cometi enorme deslize. Antes, revelo que meu conhecimento de futebol é zero, não conheço jogadores, não sei mesmo quem é quem nesse universo. E olha que o Podemos tem vários ex-jogadores no nosso time, como Romário, que é senador, Bebeto, que é deputado federal, e o Marcelinho Carioca. Pois bem, estava eu na posse do Márcio de França quando vi uma turma tirando foto com alguém, que me disseram ser do futebol. E não sei de onde ouviu o nome Edmundo no ar. Sabia que alguém do partido estava conversando com o Edmundo (ex-jogador com passagens por vários times e Seleção Brasileira) para ele vir para a legenda. Me aproximei e falei: “Edmundo, tira uma foto comigo?”. E ele respondeu: “Eu não sou o Edmundo, sou Vanderlei Luxemburgo”. Mesmo com o fora que eu dei (que vergonha!), ele tirou foto comigo. Agora, de futebol pelo menos eu sei que Luxemburgo foi lateral esquerdo e se destacou como técnico de vários clubes, inclusive do Real Madrid. Vivendo e aprendendo, né?

 

Bem-vindos ao Podemos!

 

Aqui é um espaço pra que vocês fiquem sabendo como é o dia a dia de uma deputada federal, mas peço licença a todos para registrar boas-vindas aos novos deputados federais e senadores integrantes do Podemos: Bem-vindos à família Podemos deputados Adail Carneiro (CE), Diego Garcia (PR), Dâmina Pereira (MG), Laudívio Carvalho (MG), Marco Feliciano (SP), Roberto de Lucena (SP) e Ronaldo Fonseca (DF) e senadores Rose de Freitas e Elmano Férrer (PI). Juntos Podemos Mudar o Brasil!

De minúsculo a grandioso

Janela partidária encerrada, e o resultado para o nosso Podemos foi muito bom: mais sete deputados federais e dois senadores. Total de 17 deputados em exercício, três na suplência e cinco senadores. Da minúscula bancada de deputados em 2015, hoje somos uma das maiores do Congresso. Poderíamos ter crescido mais, no entanto, em vários Estados optamos por projetos que darão palanque para o presidenciável Alvaro Dias. Em Goiás, por exemplo, poderíamos ter trazido um deputado, mas que é ligado ao governador do PSDB, então optamos em apoiar a chapa do Ronaldo Caiado, que vai dar palanque para o Alvaro. Se fossemos um partido que só visasse trazer deputados teria sido mais fácil, mas esse não é o nosso intuito, o objetivo é construir palanques para o nosso projeto maior, que é a candidatura à presidência da República. E isso acarreta alguns sacrifícios num primeiro momento, que, entretanto, trará recompensas mais adiante.

Senador Elmano Férrer, do Piauí, filiou-se ao Podemos

Páginas:«12345678...78»