abr 22, 2017 - câmara dos deputados    1 Comment

Muita média, pouco resultado

Participei do café da manhã com o presidente Michel Temer e demais parlamentares da base aliada do governo para discutir a Reforma da Previdência, pauta que tem gerado enorme polêmica não só no Congresso como também na sociedade. Temer disse que o País vive um “problema sério” e que a classe política precisa “resistir”, referindo-se às delações na Lava Jato. E, veja só que interessante: o salão estava lotado, quórum alto, mas, terminado o encontro, você ouve muita gente dizendo “Se não tirar policial, eu não voto”, “Se não tirar professor, eu não voto”, “Se não mudar isso, não voto”. É muito quórum pra fazer média, mas pouco resultado efetivo. Essa Reforma da Previdência não vai ser algo fácil de ser aprovado na Câmara Federal.

temer cafe

Post sugeridos

1 Comentário

  • Mas quem começou com as exceções? O governo federal, que arregou para os militares logo na proposta inicial. Então as outras corporações tbm lutam para não perder os privilégios (e sim, a aposentadoria no serviço público é privilegiada — basta ver o monumental rombo que ela proporciona na Previdência). Quem vai perder? A maioria da população que mais precisa da Previdência — mas que muitas vezes exerce trabalhos informais e é alijada da seguridade social.

    Enfim, retira-se os militares, depois os policiais, depois os professores, depois os agentes fiscais, depois os procuradores, o judiciário, os analistas ambientais de Poconé, e enfim, teremos o arremedo final de reforma previdenciária.

Deixe seu comentário!