nov 29, 2015 - câmara dos deputados    10 Comments

Comemorar ou não?

Gostaria de perguntar uma coisa para vocês. Uma leitora disse ter se sentido incomodada com o fato de eu comemorar alguns projetos aprovados, como a redução da Maioridade Penal. Na votação desse projeto, eu vesti camisa, subi na mesa, festejei aquela vitória, porque era uma matéria que eu defendia. Ela disse ser contra a redução da idade penal e, apesar de respeitar meu voto, meu ponto de vista, minha opinião, sentiu-se incomodada com a minha comemoração. Queria ouvir a opinião de vocês, como pensam sobre isso? Se incomodam se eu comemorar a aprovação de uma proposta da qual possam ter posicionamento diferente? Será que comemorar ofende aqueles que votaram em você, mas que não pensam ou acreditam naquele ponto como você?

Post sugeridos

10 Comentário

  • Boa tarde, Deputada

    Comemore sim e muito! Comemoro com você!
    Como já disseram nos cometários, jovem com 16 anos pode fazer muitas coisas, então vamos fazer eles também pagarem por seus delitos!
    Ora essa, só vai responder penalmente quem infringir a Lei.
    Você representa quem lhe elegeu, e a grande maioria do povo brasileiro está cansada da impunidade desses infratores “menores sem oportunidades na vida”… pois, sim…

    Um abraço,

  • É claro que ninguém gosta de ver o adversário comemorando uma vitória. Mas, como disse o Emerson, isso aqui não é um jogo, é política. Política é, por definição, o que interessa a todos. Está sempre em questão a vida de todos os membros da comunidade política. Assim, os temas sempre afetam, em maior ou menor intensidade, a vida de todos.

    Imagine a sua convicção moral a respeito da legalização do aborto. Agora, imagine que isso foi para votação e seu ponto de vista foi derrotado. Imagine ver um deputado dançando em cima da mesa comemorando. Não acredito que você possa achar aceitável.

    Acima de tudo, um deputado, um político eleito, deve ter postura.

  • O problema é que a discussões têm sido colocadas como Governo X Oposição. Esquerda X Direita. Parece que o interesse público não existe mais.

    Ao comemorar pode-se passar a impressão de que você está a favor ou contra alguém ou grupo e não a favor do projeto em si.

    Nesses últimos tempos a discrição tem sido o melhor comportamento.

    Concordo plenamente com o leitor aí de cima, que o Congresso não é campo de futebol. Não são times em disputa e muito menos cabe torcida organizada.

  • Oi,

    Acredito que seja mais delicado não comemorar… O brasileiro tem a cultura de o “meu contra o seu” em tudo… Essa leitora mesmo, ela compreende a sua liberdade de escolha mas, a comemoração provoca nela um sentimento de derrota que, acredito, não existiu na perda com a votação.
    Claro que vc deve comemorar qualquer vitória… mas seria bom não ser na frente das câmeras.

  • Deputada Renata Abreu,

    Comemore sim, muito.
    Vitoria do seu ponto de vista e dos eleitores que voce representa.
    Menor com 16 anos pode votar, eleger representantes. Então, tem e devem responder por seus crimes.

  • Olá Renata,

    Comemorar uma conquista onde participou de todo seu processo, desde o seu nascimento até sua conclusão é um gesto autentico, pois apenas quem estava envolvido na sua totalidade sabe o esforço e a lita que deu.

    A comemoração está atrelada a luta, esforço, pressão e ansiedade que se resume na conquista e consequentemente na causa que ela pretendia.

    Quem de fora está, pouco sabe dos sentimentos que foram vencidos, neste caso não deveria se incomodar.

  • Tenho dificuldade em achar as palavras para dizer isso sem ofender a leitora, mas a rejeição da redução da maioridade penal é uma pauta das ditas “esquerdas” “progressistas”, que não costumam tolerar muito a opinião dos outros. Aparentemente a leitora felizmente não é dessas.

    Ou talvez só um pouquinho. Comemore à vontade, deputada!

  • A comemoração é necessária? Acho q temas polêmicos como esse não merecem algo senão diferente do voto, já representa a sua escolha

    Infelizmente qualquer tipo de comemoração pode acabar mal interpretada, e vivemos num momento que a sensibilidade para alguns temas é bem maios, prejudicando inclusive inclusive sua imagem, como uma pecha – A DEPUTADA CONTRA A EDUCAÇÃO – mesmo que não seja verdade, até porque uma coisa não representa a outra.

    A defesa de um ponto de vista deve ser debatida em plenário e como é feito aqui, por meio de blog e outras formas de comunicação

  • Cara Deputada,

    O Congresso não é uma partida de futebol, nós contra elas. Todos os deputados foram eleitos e representam o povo. Algumas projetos viram leis outros não mas em todos os casos o povo está sendo representado. Ao se aprovar um projeto, deve-se respeitar os representantes que tiveram seu ponto de vista derrotados em uma votação. Não o que comemorar ou o que lamentar.

    Concordo que não é necessário comemorar a aprovação de um projeto de lei como se fosse a vitória de um time de futebol. Esse tipo de demonstração causa mal estar e leva para o campo pessoal algo que é apenas o jogo democrático. Adversários não são inimigos.

  • Olá deputada,

    Algumas pessoas podem interpretar o seu gesto como uma espécie de provocação.

    Mas, francamente, se as pessoas sentem incomodadas com a sua comemoração então é porque na verdade elas não respeitam o seu voto, o seu ponto de vista.

    Ora, eu digo que respeito o seu ponto de vista mas me incomoda quando se manifesta a favor do ponto de vista?

    Um abraço e parabéns pelo trabalho

Deixe seu comentário!