Bolsa Família vai mudar

bolsa familiaEm tempos de contenção de gastos e recursos federais mal fiscalizados, o governo vai mexer no Bolsa Família. Não, não vai acabar com o programa nem abandonar quem realmente precisa desse auxílio social. Como todo mundo está careca de saber, tem um ralo enorme por onde esse benefício ‘escorre’ e cai em mãos indevidas, que se aproveitam de brechas na fiscalização para fraudar o programa. Olhem isso, gente: o Ministério Público Federal divulgou em junho deste ano levantamento mostrando que o Bolsa Família pagou mais de R$ 2,5 bilhões entre 2013 e 2014 para quase 600 mil servidores públicos, 318 mil empresários (alguns deles tinham feito doação para candidatos que disputaram campanhas eleitorais) e para 89 mil pessoas que o MP descobriu estarem mortas há anos. Lamentável! Por isso, é preciso mudar urgentemente as regras de cadastramento e ser muito mais criterioso na hora de conceder o benefício. O decreto em elaboração, e que pode entrar em vigor no ano que vem, irá cruzar as informações dos beneficiários em seis bases de dados para evitar declarações falsas. Como o valor recebido é variável, conforme o número de pessoas numa família, uma das medidas pode ser a exigência, já no ato de inscrição, que todos os membros tenham CPF. Isso evitará que uma pessoa seja cadastrada em duas ou mais famílias diferentes. A Caixa Econômica, que valida a inscrição no programa, pode vir a providenciar esse documento aos menores de idade. Hoje, o Bolsa Família atende cerca de 50 milhões de brasileiros. Desde maio, quando Temer assumiu interinamente a presidência da República, já foram feitos 916 mil cancelamentos.

 

Post sugeridos

1 Comentário

  • Simples. Demissão imediata a todos os servidores públicos que fraudaram o Bolsa Família.
    Economizamos alguns bilhões por ano que e ainda fazemos uma limpa dos servidores desonestos. Todo mundo ganha.

Deixe seu comentário!