Archive from Março, 2019

Alvoroço em Brasília

Gente, Brasília pegando fogo! A prisão do ex-presidente Michel Temer mexeu demais no Congresso.Não se falava outra coisa nesta quinta-feira, muitos até apostando quem seriam os próximos alvos da Força Tarefa da Lava Jato. Vocês arriscariam algum palpite? 😳

Comissões temáticas

Quando protocolamos um projeto de lei, a Secretaria Geral da Mesa da Câmara dos Deputados define o caminho de tramitação dessa proposta, ou seja, em quais comissões ela irá passar. O caminho é bem longo antes chegar ao plenário. Neste vídeo, trago a vocês uma explicação de como isso funciona.

Pra aguentar o ar da Câmara

O ar condicionado da Câmara foi instalado junto à construção da cidade, em 1960. Olha o tanto que é antigo. Eu, que tenho rinite, sofro demais. Além de pegar o avião com o ar condicionado geladíssimo, o clima de Brasília está começando a ficar seco. Eu sofro muito nessa época do ano. Só uma inalação a base de vinagre de maçã pra ajudar a melhorar. E assim começa minha quinta-feira por aqui.

Dia exaustivo

Gente, tenho que confessar: tem hora que canso de Brasília. As coisas aqui são atropeladas, não conseguimos dar atenção que as pessoas merecem, nunca consigo sair cedo da Câmara e muito menos cumprir todos os compromissos. É muito difícil, admito que há momentos em que o desespero toma conta. Mas, continuo firme, tentando todos os dias retribuir a esperança de muitos brasileiros que me confiaram essa missão.

Vamos tomar um café?

Todos os prédios da Câmara têm espaços destinados a produzir a bebida mais consumida no Brasil: o café. Fiz um pausa pra degustar essa deliciosa bebida e quem acompanha é você. O café é a bebida mais consumida pelo brasileiro. O Brasil fica atrás apenas dos Estados Unidos, que consome quase 80 litros de café por dia. O Brasil consome cerca de 22 milhões de sacas, enquanto nos EUA são 25 milhões ao ano.

 

Podemos reage à decisão do STF

A bancada do Podemos, por meio dos deputados federais Roberto de Lucena e Igor Timo, agiu rápido e foi a primeira a protocolar um projeto de lei (PL 1520/2019) para tentar reverter a decisão do STF que, por 6 votos a 5, passa para a Justiça Eleitoral a competência de julgar os crimes de corrupção e lavagem de dinheiro quando investigados junto com caixa 2. Gente, isso pode afetar e muito a Lava Jato. Pelo menos 160 condenações correm o risco de serem anuladas, segundo procuradores da Força Tarefa, se for mantida a decisão da Suprema Corte. Isso sem falar em outros processos em andamento que podem voltar à estaca zero. Portanto, a decisão do STF não pode ser recebida de forma passiva pelo Congresso nem pela sociedade brasileira. Isso é retrocesso! Por isso, o Podemos, como sempre, agiu rápido para que a vontade do povo seja respeitada, ou seja, crimes diretamente relacionados ao processo eleitoral devem ser da alçada da Justiça Eleitoral; crimes do colarinho branco devem ser processados e julgados pela Justiça comum. O Brasil avançou nos últimos anos. Não vamos permitir que o país retroceda um milímetro no combate à corrupção.

 

 

Craccc! Craccc! Craccc!

Pausa para uma massagem na Assembleia Legislativa de São Paulo, onde estive prestigiando a posse de nossos deputados estaduais Bruno Ganem, Ataide Teruel, Márcio da Farmácia e Aprígio. Após a solenidade, ali num cantinho meio que escondidinho, me entreguei às mãos mágicas de quem sabe endireitar ossos tortos. Cracc! Cracc! Cracc! Estalou pra caramba, mas tudo voltou ao seu lugar!

Que bagunça!

Início de legislatura é assim: a maioria dos gabinetes em reforma e os corredores lotados de móveis. Eu, como não reformei o meu espaço no primeiro mandato, resolvi entrar nessa onda agora. Se arrependimento matasse, estaria mortinha (kkkk). É tanta bagunça que a minha turma nem sabe por onde começar a organizar. A obra ainda não foi concluída. Assim que tiver pronto, gravo outro vídeo pra mostrar o resultado. Bjos!

Sessão suspensa

O massacre ocorrido numa escola em Suzano deixou a todos nós, brasileiros, perplexos, chocados e… muito, muito abalados. Na Câmara dos Deputados não foi diferente. Ficamos sem chão. E sem condições de prosseguir com os trabalhos. A sessão foi suspensa.

Por que? Por que? Por que? A pergunta que todos nós fazemos. Mataram porque jogavam videogames violentos? Por que sofreram bulling na sociedade? Por que as escolas não têm mais um psicólogo ou um assistente social para observá-los, ouvi-los e orientá-los? Por que a educação está ausente em casa? Não se acompanha mais de perto os filhos? A tecnologia tem substituído o diálogo? Os presentes compram limites, direitos e deveres?

P.S.: No momento em que penso, ainda estarrecida, nas razões para o massacre em Suzano, tomo conhecimento que ocorreram ataques em duas mesquitas na Nova Zelândia, que deixaram mais de 40 mortos e dezenas de feridos.

PEC da Previdência na pauta

A temperatura começa a subir na Câmara dos Deputados. E não tem nada a ver com o aquecimento global do planeta, mas que o clima no Congresso vai ficar quente, isso todo mundo já prevê. É que começa pra valer a tramitação da Reforma da Previdência. Nesta quarta-feira (13), a CCJC (Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania) deve ser instalada, com a posse do deputado Felipe Francischini (PSL-PR) como presidente. Aí vamos ter um embate fortíssimo para definir o relator responsável pela análise e elaboração do parecer sobre o projeto econômico, provavelmente o mais importante das últimas décadas no país.,

Na CCJC, a expectativa é que os trabalhos demorem pelo menos duas semanas. Depois, a PEC da Previdência será debatida em uma comissão especial para, então, ser levada ao plenário. Se tudo correr bem, os 513 deputados farão a votação decisiva, em dois turnos, em junho.

Nos bastidores, comenta-se que a tramitação da Reforma da Previdência começa hoje depois de o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, conseguir do ministro Paulo Guedes a promessa que semana que vem o governo entrega a regras previdenciárias dos militares, que ficaram de fora da PEC enviada pelo Planalto há 20 dias. Entretanto, também se comenta à boca pequena que a votação da admissibilidade da proposta ficará em modo de espera, aguardando o projeto dos militares.

E, sim, considero a Reforma importantíssima para equilibrar as contas do Brasil, principalmente para corrigir distorções do atual sistema. E isso vai depender de todos, cidadãos e congressistas, para chegarmos à melhor proposta para os brasileiros.

PEC foi entregue há 20 dias na Câmara dos Deputados