Archive from Março, 2018

Vai que o treco pifa comigo!

Jamais uma comitiva de vereadores da Câmara Oeste da Região Metropolitana de São Paulo poderia supor o sufoco que seria entregar ofícios com pedidos de recursos federais no Ministério da Saúde. E põe sufoco nisso! Para chegar ao gabinete do ministro Ricardo Barros o acesso é pelo elevador. Vinte pessoas dentro dele e, uau, o elevador pifou. Em plena hora de almoço dos funcionários da manutenção. Ninguém para socorrê-los imediatamente. Vinte pessoas feito sardinhas em lata. Nos primeiros minutos, eles até riam da situação, mas depois… Um calor grudento e asfixiante. Alguns parlamentares passaram mal. Foram 40 minutos trancafiados até serem salvos. Passado o susto, e que susto, depois até que a gente deu boas risadas. Ah, mas após esse acontecido, eu é que não entro em elevador no Congresso na hora do almoço. Vai que o treco pifa comigo dentro!

 

‘Não sou fiel nem à minha mulher’

Uma emenda de minha autoria transformou o plenário da Câmara num caldeirão de raivosos parlamentares. Propus inserir no projeto do Vicente Cândido (PT-SP), que trata de plebiscito e subscrição eletrônica, a inclusão dos vereadores na janela de transferência partidária, que começou nesta semana. Como vocês sabem, o partido cresceu bastante e vinha recebendo questionamento sobre se os vereadores que venham a ser candidatos a deputados poderiam trocar agora de legenda. Diante dessa dúvida, resolvi redigir um texto propondo que isso fosse permitido. Nem preciso dizer que ‘incendiei’ a Casa. Foi um caos quando a emenda entrou em discussão! O PSDB ficou louco, um dos mais raivosos, só posso deduzir que estivesse com muito medo de expandir a janela para os vereadores e, cá entre nós, perder representatividade nos legislativos municipais. Gente, fidelidade não se consegue com cabresto, o político precisa querer estar no partido. Eu sou a favor da fidelidade partidária, mas houve movimentações no cenário político, com a entrada de novos partidos, o que torna necessário esse realinhamento. No meio dessa chiadeira toda, um deputado se aproximou de mim e tascou: “Não entendo, não sei o porquê desse povo querer prender os vereadores em suas legendas nesse momento. Eu não sou fiel nem à minha mulher, quanto mais ao partido.” (hahahaha)

Ops, carro errado

Tenho de admitir que estou ficando doidinha. É tanta coisa pra fazer, e o dia tem apenas 24 horas, que já nem sei onde eu entro e onde eu saio (kkkkk). Nessa correria alucinada, olhando a agenda e resolvendo coisas pelo celular, entrei num carro que não era o meu. Pior: fiz isso duas vezes num dia só. Só me toquei ao ver a cara de espanto dos dois motoristas. Que mico! (rsrs)

Conquistas femininas

E a Câmara aprovou ontem à noite, véspera do Dia Internacional da Mulher, seis projetos propostos pela bancada feminina. Passos importantes foram dados em defesa da mulher brasileira. Um deles é meu projeto 8476/17. Lembram daquele triste episódio de um homem que ejaculou numa moça dentro de um ônibus em São Paulo? Minha proposta era a revogação da ultrapassada Lei de Contravenções Penais e que esse tipo de crime (importunação sexual) fosse enquadrado na Lei do Estupro, com pena de reclusão de 3 a 6 anos. O meu PL acabou sendo apensado (assim como outras propostas) no Projeto de Lei 5452/16, que aumentou a pena prevista para estupro coletivo, tipificou o crime de divulgação de imagens de violência sexual e também a importunação sexual no transporte público.

Nessa sessão, presidida pela deputada Mariana Carvalho, única mulher a integrar a Mesa Diretora da Câmara, também foram aprovadas mais cinco importantes propostas: 1). manter as grávidas na escola, ampliando o tempo a que a aluna gestante tem direito a regime especial de exercícios domiciliares; 2). regulamenta a profissão de esteticista; 3). determina a notificação e o registro compulsório de dados relacionados ao câncer para permitir que seja cumprida a lei, com o início do tratamento em 60 dias; 4). perda do poder familiar de quem praticar contra cônjuge, filho ou outro descendente os crimes contra a vida ou contra a dignidade sexual e 5). criação do Comitê de Defesa da Mulher contra Assédio Moral ou Sexual na Câmara dos Deputados.

Conquistas muito importantes para nós, mulheres. A líder da bancada feminina, Soraia Santos, em nome das mulheres parlamentares, também pediu à presidência da Casa que todo mês, de preferência no dia 8, a pauta tenha projetos em defesa da mulher a serem votados.