Archive from Maio, 2016

Rainha da Inglaterra

Quem é de fora e passou por aqui nesta semana achou que estava tudo parado na Câmara, tudo morto, mas, não é verdade. Estava ocorrendo um trabalho muito intenso de bastidores, de articulação com os líderes, para se definir os rumos do governo, quem passaria a ser o líder do novo governo (o escolhido foi André Moura, do PSC), para saber como ficaria a situação de Waldir Maranhão, o que iria ser votado em plenário, quem conduziria a reunião do colégio de líderes. Os deputados, em boa parte, dizem não se sentir representados pelo Maranhão, queriam que renunciasse ao cargo de presidente em exercício da Câmara, mas ele recusou. A gestão do Maranhão, como 1º vice-presidente e agora com o comando provisório (em razão do afastamento do Eduardo Cunha), assim como de toda mesa diretora, se estende até o fim do ano, quando teremos eleição para o biênio 17-18. Então, fizeram um acordo com ele, que, em princípio, não deixa ter  influência na Casa.  Alguns parlamentares maldosamente o intitularam Rainha da Inglaterra, sem poder de fato. Não gostei disso, acho falta de respeito. Ontem, a sessão foi presidida pelo 2º vice-presidente da Casa, Fernando Giacobo (PR-PR), que colocou em votação duas MPs (Medida Provisória) que travavam a pauta: uma, aprovada, autoriza o ingresso forçado de agentes de combate a endemias em imóveis abandonados para a execução de ações de combate ao mosquito transmissor da dengue, da febre chikungunya e do zika vírus; a outra, igualmente aprovada, aumenta de 30 para 210 dias o prazo para distribuidoras de energia assinarem aditivo de contrato com o Ministério de Minas e Energia para prorrogar a concessão do serviço.

sessao camara zika

Ontem foram votadas duas Medidas Provisórias           (foto:Luis Macedo)

 

maio 13, 2016 - câmara dos deputados    7 Comentário

Achatados no pequeno salão

posse temerOntem à tarde houve o primeiro pronunciamento do presidente em exercício Michel Temer. Reservaram um salão pequeno, mas muito pequeno mesmo, pra tanta gente que foi prestigiar a solenidade. Começaram a chegar deputados, senadores, funcionários de carreiras e, lógico, o espaço não comportou essa multidão. Era para os ministros ficarem atrás do Temer, mas o palco foi invadido. Não para tumultuar o evento, é que não cabia mesmo no salão. Isso prejudicou muito o trabalho dos cinegrafistas e fotógrafos da imprensa nacional e internacional. Em determinado momento, os profissionais de imagem começaram a gritar ‘sai da frente’ para pedir a colaboração de todos, porque precisavam registrar a solenidade e, realmente, isso estava bem difícil. Foi uma loucura, cada centímetro de espaço era disputado por um mar de gente. Quem levantasse um pé por um instante já não conseguia colocá-lo de volta no chão. Eu, que sou pequenininha, fiquei bem lá trás, o pessoal entrando na minha frente, num empurra-empurra até certo ponto agressivo. Parecia vagão de trem na hora do rush. Se tem uma coisa que não faço mesmo é entrar nessas disputas por um vãozinho que seja só para aparecer na foto oficial. Tô fora!

maio 13, 2016 - câmara dos deputados    3 Comentário

Aprendendo a apanhar

Depois daqueles ataques sofridos pelas redes sociais, quando a admissibilidade do impeachment ainda estava na Comissão Especial e espalharam que eu era contra o impedimento, conversei muito com minha equipe, que falou uma grande verdade. Sou uma pessoa pública e tenho de aprender a apanhar, porque, independentemente da decisão que eu tomar, sempre haverá quem irá discordar. De fato, não existe um projeto de lei que receberá unanimidade popular. Sempre haverá pessoas a favor e pessoas contra. O caminho que eu decidir, vou apanhar de um dos lados. Isso é normal, faz parte, o problema é que as pessoas não estão sabendo respeitar quem pensa diferente delas. E os ataques, muitas vezes, têm sido absurdos, tipo vagabunda, bandida. Gente, precisamos muito repensar nossa forma de agir. Neste blog, tenho tido o cuidado de sempre dar a maior transparência naquilo que penso. A minha preocupação com essa ferramenta é ser a mais clara possível sobre meus atos e minhas posições. Nem sempre vocês irão concordar comigo, e não é esse mesmo o intuito, pelo contrário, este espaço é para registrar o meu ponto de vista e também o ponto de vista de vocês. E eu respeito muito isso. A nossa missão é sempre debater, discutir. Eu gosto muito dessa interação, de receber críticas construtivas, que agregam. Debates inteligentes, com conteúdo, só proporcionam ganhos para todos nós, não é mesmo? Agora, quando a crítica é pessoal, com ofensas e ataques adjetivados, eu não aceito mesmo.

maio 12, 2016 - câmara dos deputados    2 Comentário

Jogo político

O que continua a me surpreender muito aqui é o jogo político. É impressionante como muitos sãohouse players. Eles calculam suas ações e suas falas meticulosamente. Eu acho que sou muito pura nisso, tenho muito que aprender, porque sinto que o pessoal acaba me usando por causa de minha ingenuidade nesse jogo. Sempre lembro daquele seriado de TV House of Cards (que explora os bastidores da política norte-americana), é muito disso que acontece em Brasília, onde cada palavra e cada gesto são medidos e calculados milimetricamente.

maio 12, 2016 - câmara dos deputados    2 Comentário

Mandem sugestões

Como a semana transcorreu tranquila, aproveitei para despachar minhas relatorias nas comissões de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática e na de Finanças e Tributação. Também estou terminando meu parecer sobre a regulamentação dos Direitos Autorais (Ecad). Então, quem tiver sugestões sobre o assunto mande pra mim, tá?

maio 12, 2016 - câmara dos deputados    2 Comentário

Uma semana ‘morta’

Esta semana aqui na Câmara foi ‘morta’. Aliás, faz duas semanas que estou tentando quórum para a Comissão de Direitos Autorais, na qual sou relatora, e não consigo. O plenário também não teve nada. Todo mundo só ficou de olho no Senado, que nesta madrugada aprovou a instalação do processo de impeachment contra a presidente Dilma, que hoje se afasta do poder por 180 dias. Quanto à questão da presidência da Câmara, a gente não sabe se o Waldir Maranhão vai continuar ou renunciar (após aquela decisão monocrática de anular o processo de impedimento da Dilma, que ele próprio revogou 12 horas depois). Acho até que já há um movimento para que ele permaneça no cargo, porque a renúncia geraria outra instabilidade enorme na Casa. Então, tudo muito nebuloso no Congresso. A única coisa boa que rolou foi a reunião da Frente Parlamentar Mista da Internet Livre, na qual fui eleita coordenadora do Estado de São Paulo. A gente vai estar trabalhando com muito afinco para aprovar a PEC 185, de minha autoria, para tornar o acesso à internet um direito fundamental de todos os brasileiros.

pec 185

Fui eleita coordenadora de SP da Frente Parlamentar da Internet Livre

 

maio 10, 2016 - câmara dos deputados    7 Comentário

Soberania duramente golpeada

A semana começou explosiva em Brasília. E fomos todos nós, parlamentares e população, duramente atingidos por um ato monocrático do deputado Waldir Maranhão, presidente interino da Câmara, que anulou a decisão soberana do plenário da Casa, tomada democraticamente por 367 parlamentares na sessão histórica do dia 17 de abril. Não podemos nos curvar a um capricho, a uma manobra que se opõe ao que o colegiado da Câmara decidiu. Maranhão, em sua decisão individual, sem consultar a mesa diretora e tampouco o plenário, desrespeitou seus colegas. Seguimos a Constituição, seguimos os trâmites determinados pelo STF. Cumprimos com a nossa obrigação de representantes do povo, legitimamente escolhidos pelos eleitores e que assim quiseram que votássemos, a favor da admissibilidade do impeachment. Argumentar que não poderia ter tido orientação de líder e tampouco orientação de bancada é fazer pouco caso da existência dos partidos. Então, pra que servem os partidos, minha gente? Pra que servem os líderes, os blocos parlamentares? Pela argumentação de Waldir Maranhão, é cada um por si. Imaginem uma reunião de líderes, então? Se não pode ter orientação de bancada ou orientação de liderança, passaremos a ter 513 deputados fechados na sala de líderes para deliberar a pauta de votação, a Ordem do Dia em plenário? Como assim, deputado Maranhão? Sinceramente, é pra ficar cada vez mais chocada com o que tem acontecido aqui em Brasília do ponto de vista institucional. Lamento e repudio o ato do presidente interino da Câmara, que, mesmo tendo voltado atrás 12 horas depois de tomar sua decisão, tumultuou o Congresso e afetou bruscamente a economia do Brasil, com a disparada do dólar e a queda na Bolsa de Valores. Infelizmente, isso ocorre num momento em que temos 11 milhões de desempregados e o País está literalmente parado, assistindo agora a essa decisão monocrática, que desrespeitou os 512 deputados, os 81 senadores e, principalmente, uma Nação inteira, a maior vítima dessa crise política que está levando o Brasil cada vez mais para o buraco.

Concretizando um sonho

Lembram-se de ter comentado aqui meu sonho de um novo sistema político para o Brasil? Que passei o último ano estudando, discutindo e pesquisando com minha equipe e colaboradores uma fórmula inovadora que proporcionasse a participação efetiva, e de direito, da população nas principais decisões do País? Pois bem, a semente está plantada e foi apresentada semana passada aos deputados federais do PTN, num evento que reuniu um staff de especialistas em ciências sociais e políticas. O partido será reposicionado, com bandeiras mais condizentes com a atualidade, inserido totalmente no mundo globalizado e conectado deste século, onde todos se comunicam em tempo real, numa grande conferência em que a coletividade passa a ter voz atuante e decisiva nos rumos desta Nação. Sempre fui defensora da democracia direta e percebi que grande parte da crise de representatividade se deve a exclusão dos verdadeiros detentores do poder, ou seja, o povo, que ao longo das últimas décadas foi limitado a se manifestar apenas de quatro em quatro anos. Daí a necessidade do reposicionamento partidário, devolvendo ao brasileiro o que lhe é de direito, a capacidade de participar, discutir e decidir o que é melhor para o Brasil. Com ferramentas apropriadas, passaremos a ter debates digitais em que o cidadão poderá se manifestar durante todo o processo político e participar direta e ativamente do mandato de seu representante na classe política e, principalmente, do partido. Restam algumas etapas para que o projeto esteja completo e espero em breve concretizar esse sonho. Aguardem!

Sondagem para ministério

E aí uma pessoa próxima do vice-presidente Michel Temer me sondou sobre a possibilidade de eu assumir o Ministério dos Direitos Humanos no eventual governo dele. Foi só uma sondagem, mas o suficiente para ser noticiado por toda a imprensa. Recebi enxurrada de mensagens, telefonemas, apoios, mas, gente, não tem nada acertado. Eu, que estou em primeiro mandato eletivo, mas que tenho formação acadêmica, sou gestora, advogada e milito pela igualdade racial em São Paulo, combatendo o preconceito contra os nordestinos, fiquei muito feliz de ser lembrada pelo Michel Temer, lisonjeada mesmo. renata e temerPrimeiro mandato e todo mundo dizia que uma andorinha só não faz verão… Só o fato de ser lembrada é demais de bom, porque o que a gente busca é sempre contribuir para o País, contribuir para o governo, contribuir para o bem do povo, contribuir para que as coisas aconteçam. É claro que você tem que ter muita coragem, estar preparada para assumir uma Pasta como esta, porque vai sofrer ataques de todos os lados, mas trata-se de um ministério em que você pode fazer muito pelas minorias, dar voz à população, pode fazer um trabalho muito legal. Sou uma pessoa que tem muitos sonhos, luto muito, trabalho muito, me dedico muito e não gosto de fazer coisas malfeitas. Enfim, foi apenas uma sondagem, nada definido, portanto, vamos ver o que acontece nos próximos dias.

 

Jovens com futuro promissor

Quem pensa que vida de política é fácil, não é não. Cheguei de Brasília na quinta à noite, passei o dia seguinte inteiro em reuniões, mas terminei a noite em Osasco, no lançamento da pré-candidatura a prefeito do nosso jovem Rogério Lins, de 35 anos. Ele é meu primeiro suplente na Câmara dos Deputados e foi o mais votado nessa cidade da Região Metropolitana de São Paulo. Nesse lançamento esteve presente também o deputado estadual Igor Soares, outro jovem promissor do PTN e que é pré-candidato a prefeito em Itapevi. Foi muito emocionante, porque é a juventude acreditando e participando pra valer da política, construindo sonhos, construindo projetos. É muito legal. Estamos montando um time jovem muito forte e de um futuro brilhante para o País. Fico radiante de ver o crescimento do PTN. Assumi o partido em 2011, sem nada, um partido morto, hoje é a agremiação partidária que mais cresceu na Câmara dos Deputados (mais de 300%). E aqui, no Estado de São Paulo, estamos bem cotados para ganhar as prefeituras de várias cidades. Isso é um enorme estímulo para a juventude participar da política, acreditando na sua força de fazer um amanhã cada vez melhor. E, sinceramente, sinto-me feliz e realizada pelo patamar atual do PTN, fruto desses jovens que acreditaram em nosso projeto e hoje estão aí bem cotados para serem vitoriosos nas urnas municipais.

WhatsApp-Image-20160506

Rogério é pré-candidato a prefeito em Osasco e meu suplente na Câmara

Páginas:«123»